Tem coisa melhor que passar uma tarde de sol no Museu Oscar Niemeyer? Tomando uma água gelada, vendo cachorros atropelando piqueniques de domingo e rodas de amigos sentadas na grama? Sim, pode ficar muito mais incrível. É só se juntar à roda tímida de pessoas para assistir a Caio Weber em um pocket show de seu projeto, Monollogo.

Não éramos diferentes de outros artistas que ali estavam, batucando ou dançando. Entretanto, havia algo de especial naquele momento. Especial, desculpe o termo, pra c******. Caio é desenvolto, carismático, faz piadas, interage, move as pessoas. Mesmo que fossem poucas. Mesmo que tímidas. Mesmo que só escutando uma música de qualidade inacreditável sem saber como reagir ao talento vocal do garoto.

Não erra uma nota sequer. Atreve-se a notas mais altas, como um grito muito bem dado. Vocalista da banda Cefa, domina sua performance, ainda que intimista, ainda que para poucos espectadores, tanto na maneira de falar quanto na de se mover. Ah, claro, o mais importante: na maneira de cantar.

Modesto, disse que é ruim por saber cantar apenas as composições próprias. E precisa de mais?

Não. Definitivamente não. Dezembro chegou e nós nos encontramos. Não acredita no relato acima? Assista ao vídeo abaixo.