Uma coisa é certa no mercado cinematográfico atual: se o filme conquista boa bilheteria, certamente irá ganhar uma sequência. Quase todos os gêneros se enquadram nessa “tradição”, principalmente as comédias. Em tempos onde poucas obras conseguem realmente divertir o público, aquelas que arrancam algum sorriso já se sobressaem. É o caso de Pai em Dose Dupla de 2015 que acumulou bom público e crítica, confira a nossa aqui. Seguindo o padrão, recebemos agora Pai em Dose Dupla 2; que se apóia nas novidades para manter a qualidade.

O grande problema de muitas continuações é acabar se engessando na fórmula do primeiro filme e relaxar no roteiro. É preciso inovar e trazer situações diferentes para que o espectador não tenha sensação de estar assistindo a mesma coisa. Com isso em mente, Pai em Dose Dupla 2 aposta na inserção de dois novos personagens e não tinha como ter dado mais certo.

Seguindo a trama do personagem de Will Ferrell, padrasto que precisa ganhar a confiança das crianças numa disputa contra o pai delas; interpretado por Mark Wahlberg. Agora tudo está em calmaria e os dois se acertaram em suas funções, protagonizando uma boa parceria. Porém, tudo vai abaixo com a chegada do natal e a aparição de seus pais. Cada um tem uma figura paterna representada de forma exagerada em comparação com eles próprios. Tendo Mel Gibson como o pai durão de Wahlberg e John Lithgow como o pai ultra-amoroso de Ferrell.

A direção e roteiro seguem nas mãos de Sean Anders, responsável pelo antecessor. Ou seja, muito do que existe em Pai em Dose Dupla está presente aqui novamente e de forma cansativa. São variadas as piadas físicas e bobas, explorando o humor de Ferrell, e situações badass com Wahlberg. Podemos dizer que a “salvação” do longa está nas presenças de Gibson e Lithgow, principalmente no primeiro pelo fator surpresa.

Com atuações bem coadjuvantes de Linda Cardellini e da brasileira Alessandra Ambrosio, e crianças podendo ter mais destaque além das cenas forçadas; a tarefa de segurar o filme ficou com o quarteto protagonista. Temos em Pai em Dose Dupla 2 um entretenimento fácil que lhe mantém descontraído e ainda consegue arrancar algumas risadas. Em tempos que comédia boa virou raridade, é sempre bom achar um exemplar que consiga ao menos divertir.

Nota: 7,5

Trailer – Pai em Dose Dupla 2