O ano de 2020 não está de brincadeira não, e o Curitiba Cult traz neste início de semana uma notícia triste. Quem já visitou (ou visitava) frequentemente o Zoológico de Curitiba sabe que uma das atrações principais era o conhecido leão Simba. Infelizmente, o animal morreu nesta segunda-feira. 

Simba, que chegou ao local há 18 anos ainda filhote, já havia ultrapassado sua expectativa de vida para a espécie. De acordo com as informações da equipe técnica, ele recentemente vinha apresentando problemas nas articulações, tinha dificuldade para se locomover e estava sob medicação para dor.

Foto: Pedro Ribas/SMCS

O diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria Municipal do Meio Ambiente Edson Evaristo afirmou que “leões vivem 13 anos na natureza e dificilmente ultrapassam os 18 quando estão fora dela, como aconteceu com o Simba”. Edson relembra ainda de quando o leão foi resgatado de uma residência que não tinha o menor preparo para cuidar da espécie, sendo tratado como animal de estimação. “Ele foi entregue para os cuidados da nossa equipe bastante debilitado, com problemas metabólicos e dermatológicos severos, e se recuperou de modo admirável”, completa.

Simba deixa duas filhas, Leona e Nala, leoas que já nasceram fora da natureza e que, em outubro deste ano completam 14 anos.