Miley Cyrus é capa da edição de março da Wonderland e, é claro, deu uma entrevista à revista. A cantora comentou novamente sobre sua marcante performance no VMA 2013, quando cantou o smash hit “We Can’t Stop” e, ao lado de Robin Thicke, dançou “Blurred Lines”. “Não foi apenas uma mudança cultural, mas mudou minha vida e minha carreira para sempre”, afirmou Miley.

Ainda de acordo com a ex-Disney, a apresentação foi o que inspirou a abrir sua própria fundação beneficente, a Happy Hippie. Ela explica sua lógica:

“Me inspirou a usar minha plataforma para algo muito maior. Se o mundo vai focar em mim e no que estou fazendo, que seja então impactante e ótimo. Isso m encorajou a me engajar mais, o que depois me levou a começar minha própria organização, que é a Fundação Happy Hippie. Ela é dedicada a combater a injustiça com as populações vulneráveis”.

Além disso, Miley também comentou sobre sua falta de interesse por fazer trabalhos como atriz:

“Meu desvio de atenção não ama a ideia de se focar e estar em um projeto por tantos meses, especialmente sendo um personagem e não podendo ser eu mesma por tanto tempo. Eu mergulho fundo nos personagens quando atuo, assim como faço com a música. Então é difícil para mim me relacionar – até mesmo com minha família e meus amigos – porque estou aprofundada no papel. Por isso, por enquanto, estou muito contente onde estou. Dar vida a outra pessoa não soa tão divertido para mim”

Se liga nas fotos para a revista que a moça postou em seu Twitter: