Novamente, a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais vai às ruas em prol da plena cidadania LGBT. Com o tema “E por falar em juventude…”, a Associação Paranaense da Parada da Diversidade (APPAD) tem a expectativa de levar às ruas milhares de pessoas no próximo fim de semana.

O tema desse ano leva ao público reivindicações não apenas do movimento LGBT, mas também do movimento negro e de religiões de matrizes africanas, tendo em vista a crescente onda de violência que, diariamente, por conta principalmente da intolerância religiosa, atinge a juventude que faz parte dessa parcela da população.

Os organizadores do evento afirmam que o preconceito contra religiões não-cristãs é a principal causa de violências como, por exemplo, a repressão a estudantes de escolas públicas que manifestam suas convicções religiosas utilizando algum objeto/símbolo que represente a sua fé, como os conhecidos fios de contas, itens bastante característicos de religiões como a umbanda e o candomblé.

“Temos denúncias de jovens que foram espancados porque estavam utilizando algum símbolo de suas respectivas religiões. Alunos são orientados por equipes pedagógicas a não usarem fios de contas para ir ao colégio, enquanto alunos que utilizam crucifixos, por exemplo, não recebem esse tipo de aconselhamento”, destaca Márcio Marins, coordenador cultural da APPAD.

Além disso, a organização também destaca a problemática de violência que atinge a juventude negra. “No Brasil, o extermínio da população negra é estarrecedor. Os índices das maiores pesquisas sobre violência apontam para essa realidade, mas a sociedade parece ignorar”, afirma Thon Cris Paiva, coordenador geral do evento.

Assim como acontece todos os anos, alguns artistas engajados com a temática LGBT já confirmaram que se juntarão aos presentes para participar da caminhada que termina na Praça Nossa Senhora da Salete, em frente ao Palácio Iguaçu, como é o caso da funkeira Mc Mayara, que pelo segundo ano apoia a iniciativa, tendo inclusive recebido o título de “Cidadã da Parada” no ano passado.

A cada edição um tema de caráter reivindicatório é apresentado à sociedade paranaense, e são baseados nas demandas do movimento LGBT e no tema internacional da InterPride (The International Association of Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender and Intersex Pride Coordinators). No entanto, o contexto atual e regional fez com que dessa vez a temática contemplasse a problemática da intolerância religiosa.

Serviço: Parada da Diversidade LGBT 2016

Quando: 13 de novembro de 2016 (domingo)

Onde: Praça da Mulher Nua (19 de dezembro)

Horário: concentração a partir das 11h