Não é novidade para mais ninguém quando o assunto é o tamanho da ambição da Netflix. A companhia caminha a passos largos para se estabelecer como o grande nome no meio televisivo. Como se não bastasse as variadas produções próprias e a recente imersão no mundo dos animes. Eles agora compraram uma empresa responsável pela criação de HQs: o Millarworld.

Pode parecer algo aleatório, porém é uma movimentação histórica. Além de ser a primeira compra efetuada pela Netflix, é apenas a terceira vez que uma negociação neste estilo se consolida. O Millarworld é hoje o terceiro maior selo de histórias em quadrinhos, perdendo apenas para DC Comics e Marvel Comics. Ambas são as outras duas negociações, vendidas para Warner em 1968 e Disney em 2009 respectivamente.

O Millarworld foi criado por Mark Millar, um dos maiores quadrinistas/autor do mundo. Ele criou a empresa para ter independeria e liberdade de criação, algo que não existia na DC e Marvel. Por lá ele deixou grandes trabalhos, principalmente na Casa das Idéias onde fez Guerra Civil e Logan (ambos foram adaptados às telonas), Os Supremos (grupo que deu origem aos Vingadores). Além de muitos outros títulos grandiosos e famosos em ambas editoras.

Em sua própria editora surgiram clássicos da HQs com uma pegada mais adulta e temas diversos, bem diferente dos quadrinhos de heróis. Os maiores sucessos já se encontram transformados em películas: Kick-Ass e Kingsman: Serviço Secreto. Com a chegada da Netflix mais obras devem ganhar versões em longa-metragem ou em formato de série. Entre os nomes possíveis estão: American Jesus, Huck, Nemesis, Chrononauts, O Legado de Júpiter e Reborn. Os dois últimos são os mais cotados para darem as caras primeiro no serviço de streaming.

Teaser – Netflix/Millarworld