A exposição “Schwanke, uma Poética Labiríntica”, com curadoria de Maria José Justino e peças inéditas do artista e pesquisador Luiz Henrique Schwanke, foi prorrogada por mais uma semana e poderá ser vista até o dia 8 de agosto. A mostra foi concebida exclusivamente para o espaço do Olho, no Museu Oscar Niemeyer.

O trabalho do premiado Luiz Henrique Schwanke (1951-1992) é apresentado desde a década de 1970 até as últimas produções, num total de mais de 150 obras, com 70% das obras sendo inéditas. Em sua obra há a presença e singularidade de permitir diferentes abordagens e variadas formas, com desenhos, pinturas, livros, objetos, esculturas e instalações, num conjunto complexo e surpreendente.

A obra de Schwanke é um campo de inquietação e desassossego e se constitui em um verdadeiro labirinto”, diz a curadora Maria José Justino. “Entrar em sua obra é um convite a percorrer caminhos que oferecem diversas linguagens e, quando acreditamos encontrar a saída, não passa de novas sendas para outras rotas, outras paragens e novos sentidos”, afirma.

Sobre o MON

O Museu Oscar Niemeyer (MON) pertence ao Estado do Paraná. A instituição abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção asiática da América Latina. No total, o acervo conta com aproximadamente 7 mil peças, abrigadas em um espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina. Os principais patrocinadores da instituição, empresas que acreditam no papel transformador da arte e da cultura, são: Copel, Sanepar, Grupo Volvo América Latina, Vivo e Moinho Anaconda.

Serviço – “Schwanke, uma Poética Labiríntica”

Onde: Sala Expositiva do Olho, Museu Oscar Niemeyer – Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico

Horário: terça a domingo, das 10h às 18h, até o dia 08 de agosto