Sucesso de bilheteria, “Mulher-Maravilha 2” será o primeiro filme a utilizar o código de conduta contra assédio divulgado pelo sindicato de produtores cinematográficos dos Estados Unidos, o PGA, na última semana. A continuação do longa da DC Comics chegará aos cinemas somente no dia em novembro 2019 nos Estados Unidos. No Brasil, ainda não há data definida.

A necessidade do manual se deu após o escândalo sexual envolvendo o produtor Harvey Weinstein. Harvey foi banido do PGA em outubro de 2017, devido a acusações de  assédio e abuso sexual, por diversas de atrizes, personalidades e modelos de Hollywood.

As “Diretrizes Antiassédio Sexual” foram desenvolvidas junto com o movimento “Time’s Up“, afim de repassar diretrizes para evitar casos de assédio e abuso nas produções cinematográficas. “Os produtores possuem autoridade tanto no set, quanto fora dele e podem ser a chave para a criação e o suporte de um ambiente de trabalho construído com respeito mútuo. Através de recursos competentes, nós podemos educar nossos membros e as suas equipes. Em conjunto, devemos modelar nosso compromisso com um local de trabalho livre de assédio e encorajar os colegas a fazerem o mesmo.

De acordo com as diretrizes do PGA, todas as produções devem estar cientes e de acordo com as leis estaduais e federeis relacionadas a assédio e abuso sexual e todo o elenco e a equipe devem receber um treinamento antiassédio. Além disso, deve haver pessoas designadas nos sets para os funcionários possam denunciar os possíveis casos durante as gravações.