E é com essa expressão maravilhosa da imortal (?) Khadija da novela “O Clone” que começamos este post das arábias. Ok, prometo parar de tentar inserir “arabianices” em todas as frases deste texto.

Buuuut, diferentemente das outras listas do mundo, esta tem a minha assinatura embaixo (não que ela valha de alguma coisa), ou seja, eu provei e aprovei todos estes estabelecimentos maravilhosos e hoje falarei um cadim de cada um deles para você, amigo ou amiga que, assim como eu, tem um buraco negro no estômago e não se cansa nunca de comer. Então, pega o seu ENO, desabotoa o primeiro botão da calça e vem comigo!

Primeirões: para quando você não está com preguiça de sair de casa

Oriente Árabe

Este restaurante é a cara do turismo. Localizado ali na esquininha do Largo da Ordem, do outro lado da rua do Madero, o Oriente Árabe tem um deck muito agradável para você que quer almoçar dando aquele bizu no movimento da feirinha aos domingos.

Rola dança do ventre? Sim! É um bafafá maravilhoso, gente. Do cardápio eu indico os famosos chawarmas e os beirutes, sem falar do kibe frito na manteiga. Sério, deu fome.

Informações

De terça a sexta-feira, das 11h30 às 14h30 e das 18h30 às 23h;
Sábado, das 11h30 às 15h e das 18h30 as 23h;
Domingo, das 11h30 às 15h.

Rua Kellers, 95, São Francisco

Site oficial.

Bagda Café

Conhecidíssimo pelo público por causa das apresentações de dança do ventre, o Bagda Café é daqueles ambientes temáticos e divertidos que parecem ter saído de um cruzeiro bem louco destes de filmes da TV.

Todas as vezes que fui lá dei risada para caramba (estava bêbado, óbvio), fui muito bem atendido e ainda pude demonstrar o meu remelexo. Quer coisa melhor que isso? Ah, e no sábado rola DOUBLE de caipirinha até as 23h30 (informação pertinente, né?).

Informações

De terça a sábado, das 18h30 até o último cliente (achei ousado)

Rua Padre Anchieta, 292, Mercês

Site oficial.

Baba Salim

Tradicionalíssimo, agradabílissimo, sensacionalíssimo! E só assim consigo definir o Baba Salim. Localizado ao lado do Teatro Guaíra, a portinha árabe mais charmosa da cidade sempre recebe a todos com muita simpatia, cervej gelada e pratos deliciosos.

Do cardápio (mega acessível) eu indico o kibe cru e as sfihas, claro, porque tenho uma quedinha por elas. Mas, em linhas gerais, nada deixa a desejar, incluindo o público, visto que no estabelecimento você quase sempre pode encontrar artistas da cena local e uma galera sempre disposta a fazer amizades. Vale a pena conferir!

Informações

De segunda a sábado, das 18h às 2h

Rua Amintas de Barros, 45, Centro.

Page oficial no Facebook

Segundões: delivery, sempre o nosso melhor amigo

A sofrência do dia a dia também arranca as suas forças? Você é adepto da religião “iFood nosso dos últimos dias”? Então esta lista é para você!

Se tem uma coisa que eu sei nessa vida, sério, é pedir comida, principalmente árabe – lá no apê todo mundo sempre sabe que vai rolar sfiha em algum momento. Ou seja, fica ligado, pega a caderneta de anotação e tome nota.

Al Sultan

DE LONGE o meu favorito. Além de ser perto de casa, esse lugar incrível é barateza, entrega em casa e, como se não bastasse, é uma delícia. Minha indicação é sempre 1 esfiha bruschetta, uma chilli beans e uma de doce de leite para arrematar. E, sério, tudo isso sai por 20tão. Gente, é praticamente de graça.

Ah, o Al Sultan também serve no local, mas o que eu conheço (Juvevê) é um espaço pequeno e pode não ter mesas sobrando, então, vá de delivery que é mais garantido.

Informações

Água Verde – Professor Dario Veloso, 35

De segunda a sábado das 11h às 23h;

Juvevê – Moysés Marcondes, 913

De segunda a sábado das 11h às 23h.

Site oficial.

Barakiah

O Barakiah também é delicioso, mas um pouquinho mais caro que o Al Sultan – com pratos maiores também, então às vezes compensa. O legal da casa é que ela tem rampa de acesso para pessoas com deficiência (parabéns, Barakiah!) e também que o cardápio conta com 23 opções de sfihas abertas, uma verdadeira loucura gastronômica.

Informações:

De terça a sábado, das 11h às 23h

Domingos e feriados, das 17h às 23h

Site oficial.

Terceirões: doce, doce, doce, a vida é um doce, a vida é mel (?)

Estou aqui usando esta frase da Xuxa para te dizer: sim, nós temos um compartimento secreto reservado aos doces. A gente sabe que isso é real, a gente apenas sabe! Então, saca só este lugar mais do que especial e que mora no meu coração (estômago, na verdade).

Al Bába

Em Curitiba, o Al Bába tem duas sedes, e a mais central fica ali na Emiliano Perneta e tem doces incríveis, juro, a gente até se perde.

Completamente tradicional, o estabelecimento nos apresenta os doces em formas redondas ENOOOOORMES, várias delas, daí você se serve, pesa e come daquele jeitinho que só a gente sabe. Ah, e se você quiser salgados lá também, inclusive eles vendem kibe cru por kg e aqueles molhos deliciosos que a gente ama.

Informações:

Rua Emiliano Perneta, 865, Centro

Rua Eduardo Sprada, 1190, Campo Comprido

Site oficial.

Quarteirão: o melhor fica por último

HABIB’S. ORRA, MENTIRA! Só de zua gente, a minha lista acabou. Nos falamos no próximo texto. Beijas.

You have Successfully Subscribed!