A 25ª edição do Festival de Curitiba já começou! Para você se preparar para o evento, o Curitiba Cult, junto com o Festival, vai trazer para você as notícias mais frescas!

ÚLTIMA CHANCE DE VER “MAMÃE”

Hoje é o último dia para ver Mamãe, espetáculo da Mostra 2016, do Festival de Curitiba, com o ator Álama Facó. Depois da arquiteta Marpe Facó receber um diagnóstico de um tumor cerebral, em 2010, Álamo Facó viveu 100 dias de uma jornada emocional. Sempre ao lado dela, o ator e dramaturgo acompanhou em detalhes o tratamento, a luta e o dia a dia de sua mãe. Após seu falecimento, mergulhou em um processo de criação que chamou de “A Síntese do Relevante”, de onde nasceu o monólogo “Mamãe”. Influenciado por artistas como Sophie Callle, Lygia Clark e Bruce Nauman, o trabalho não traz o drama exagerado das histórias com essa temática nem tampouco sua estética traz os tons pastéis de um hospital. Muito além disso, traz à cena os tabus que permeiam a morte, as variações do consciente e os limites do amor entre mãe e filho.

PEÇA DE CÂMERA PARA UMA ATRIZ E QUATRO PERSONAGENS

Prêmio Funarte de Autor Inédito em 1996, a peça “4 – Peça de Câmara para 1 Atriz e 4 Personagens” de Duaia Assumpção tem supervisão de feras do teatro e do cinema: Domingos Oliveira, Joaquim Assis, Jacyan Castilho e Ronald Teixeira. No texto, Velha, Mulher e Garota vivem juntas. A velha conta à neta que o filho quer matá-la. Sem saber disso, o homem volta ao lar que abandonou porque pressente que a mãe vai morrer, reencontrando a mulher e a garota, sua filha. Neste processo, as relações dos quatro se desenham, os fantasmas do passado e as emoções do presente começam a aflorar. TUC – Teatro Universitário de Curitiba. Horário: 5ª 31/3 às 15h, 6ª 1/4 às 18h, sáb. 2/4 às 21h e dom. 03/4 às 12h.

BASQUIAT

“Jean”, espetáculo sobre a vida do pintor negro Basquiat. Sozinho em cena, o ator Alex Mello, que assina texto e direção, mostra diversos momentos da vida do artista: a infância, o universo escolar, o racismo e a exclusão ao qual é submetido. A adolescência, a vida nas ruas, o contato com as drogas e a rebeldia traduzida através da música e do grafite e, já adulto, o reconhecimento como pintor, sua relação com a fama e a solidão. A montagem procura unir fatos marcantes da vida dos dois: Alex, um ator negro que vive em um país estrangeiro, e o pintor de origens porto-riquenha e haitiana que se tornou um dos maiores nomes da arte contemporânea. Local: Mini-Guaíra – Auditório Glauco Flores de Sá. Dias e horários:  29/3  (ter)21h.  30/3  (quar) 12h. Endereço: Rua Aminthas de Barros, s/nº, Centro.

AQUELES DOIS 

A Cia Aqueles Dois de Teatro do Rio de Janeiro, estará presente no Festival de Curitiba com três espetáculos:

“Os Homeopáticos”: o roteiro foi idealizado pelos atores, a partir de uma pesquisa de 30 (trinta anos), pelo Dr. Mayer M. Filho, sobre os medicamentos homeopáticos. No Solar do Barão: 31/03 às 19h30, 01/04 às 10h e às 19h.

“O Paciente do Remédio Nº 3”: na espera por sua mãe, o personagem busca em diversos meios, a resposta, ou um motivo para estar vivo. No Solar do Barão: 31/03 às 14h30, 01/04 às 17h30.

“Procure uma saída”: a peça surgiu da necessidade de buscar em inúmeros lugares, um espetáculo com apenas dois personagens, foi então, que uma “identidade” da peça foi sendo construída. O que falar? Ser diferente? Fazer a diferença? Quem eles são? Uma rua sem saída, ou em uma avenida movimentada? Em cima ou em baixo de uma ponte? Apenas um buraco negro, uma espécie de bueiro, e dentro dele, um vapor d’água que não se dissipa facilmente para o ambiente. O magro jornalista que se acha gordo e o gordo que se acha gordo. É a busca constante pela resposta; a porta de entrada serve como saída? A espera da explosão das memórias daquele lugar, um milésimo de segundo e quinta se torna sexta feira e, talvez, o recomeço. No Solar do Barão, 02/04 às 20h30, 03/04 às 11h.

A programação completa do Festival de Curitiba e informações das vendas de ingressos você pode conferir aqui.