A 60ª edição do Grammy – maior premiação da indústria musical – aconteceu no domingo (28), em Nova York, pela primeira vez após 15 anos.

Seguindo a mesma vibe do Globo de Ouro, diversos artistas resolveram mostrar seu apoio à campanha “Time’s Up“, que protesta contra o assédio, e fizeram questão de usar uma rosa branca junto do traje. Lana del Rey, Lady Gaga, Sam Smith Nick Jonas foram algumas das estrelas que abraçaram a causa.

Lady Gaga e a sua rosa branca. Foto: Reprodução

A Academia, que bancou de boazinha durante a divulgação do Grammys – após toda a polêmica de 2017 – resolveu não aplicar na prática a militância da internet. O que se viu, foi uma premiação utilizando de causas sociais para se promover, mas contando com o machismo clichê. Shakira, Alessia Cara, Rihanna (sendo feat de Kendrick Lamar) e Carrie Fisher foram as únicas mulheres premiadas de 2018.

Alessia Cara levou o prestigiado “Best New Artist” para casa. Foto: Reprodução

Bruno Mars foi o maior superestimado destaque da noite. O cantor havaiano ganhou em todas as categorias que concorria (incluindo as três principais) e levou 6 estatuetas para casa (Disco do Ano, Música do Ano, Gravação do Ano, Performance R&B, Música R&B e Álbum R&B).

Bruno Mars e seus Grammys. Foto: Reprodução

Além dos prêmios, o álbum “24K magic“, de Mars, também conseguiu o prêmio de Melhor Engenharia de Som, mas esse vai para a equipe técnica que produziu e masterizou o álbum.

O curioso, é que o CD de Bruno Mars foi o menos prestigiado pela crítica, com um mero 70, entre os indicados das principais categorias. “24k magic” não é ruim, de fato. Mas é impossível escutar e não pensar “Puxa… eu já ouvi isso antes“. O trabalho saiu genérico, muito abaixo do potencial do cantor.

Kendrick Lamar conseguiu levar 4 prêmios para casa (Melhor Álbum de Rap, Melhor Canção de Rap, Melhor Perfomance de Rap e Melhor Colaboração de Rap). “DAMN” foi um dos álbuns mais aceitos de 2017 e teve um desempenho extremamente forte nos Estados Unidos. O público, no entanto, considerou uma injustiça a derrota do rapper nas principais categorias (o que é verdade, vamos combinar).

Kendrick Lamar e um dos seus prêmios. Foto: Reprodução

Além de levar os prêmios, Lamar também teve a oportunidade de fazer o que talvez foi a melhor apresentação da noite, com direito a um discurso forte.

Outro destaque da noite, foi o polenguinho ruivo Ed Sheeran. O cantor britânico, que havia criticado o Grammys por ter sido indicado em apenas duas categorias, levou os troféus nas categorias em que foi indicado (Melhor Álbum Vocal Pop e Melhor Performance Solo Pop). Ed Sheeran é um baita artista, disso todos sabemos. Compõe as próprias músicas, toca e canta como ninguém. Mas também precisamos entender que “Divide” foi o seu pior álbum da carreira. Ganhar um prêmio do nível Grammy com um álbum com 12 músicas sobre amor e com um single reciclado da Sia que conta a história de como ele ficou apaixonado por uma garota qualquer de um bar realmente merece muito.

Melodrama“, de Lorde, não recebeu um único grammy – mesmo sendo o álbum feminino mais aclamado de 2017, com 91 no Metacritic. O pior é que só foi indicado para UMA categoria! Tá de brincadeira, né, Academia?!

Kesha foi uma das principais injustiçadas da noite – e com muita razão. “Rainbow” estava concorrendo em Melhor Álbum Vocal de Pop, e “Praying” em Melhor Performance Solo de Pop. O álbum foi o primeiro trabalho da cantora, anos após toda a polêmica do abuso sofrido pelo ex-produtor Dr. Luke.

Eu só vou deixar esse tweet para resumir a situação:

Na tradução literal: “Kesha lançou uma música sobre conseguir perdoar o estuprador dela, mesmo com medo de nunca mais poder lançar música novamente e você dá [o prêmio] para um ruivo cantando sobre uma v**** qualquer que ele conheceu no bar?”

Aliás, a apresentação da cantora, que contou com diversas mulheres importantes foi o auge da noite. “Praying” conseguiu arrepiar todos os pelos do corpo.

Confira a apresentação (e pode se emocionar, não tem problema):

https://www.youtube.com/watch?v=2AzYkNtyZKY

SZA também entrou para a lista das injustiçadas de 2018. A cantora levou 5 indicações e 0 prêmios (sendo comparada com Rihanna em 2017, inclusive). A maior crítica com a cantora foi em relação ao prêmio de Artista Revelação, que ficou com Alessia Cara. Particularmente, sou muito fã de Cara. Mas devo admitir, foi uma injustiça sim. Alessia lançou seu álbum em março de 2016 e levou o prêmio em 2018?! Não consegui entender…

SZA no Red Carpet. Foto: Reprodução

Além de Kendrick e Kesha, Lady Gaga também emocionou o palco com “Million Reasons” e Sam Smith cantou “Pray“.

Como de costume, a noite contou com parcerias. Rihanna apresentou o hit “Wild Thoughts” com DJ Khalid, Elton John dividiu o palco com a talentosíssima Miley Cyrus e Bruno Mars fez dueto com a nova estrela do rap, Cardi B.

E você, acha que alguma coisa foi injusta em toda essa premiação?

Confira a lista com os principais ganhadores em destaque:

Álbum do ano

“Awaken, My Love!” — Childish Gambino

“4:44” — JAY-Z

“DAMN.” — Kendrick Lamar

“Melodrama” — Lorde

“24K Magic” — Bruno Mars

Gravação do ano

“Redbone” — Childish Gambino

“Despacito (Remix)” — Luis Fonsi & Daddy Yankee feat. Justin Bieber

“The Story of O.J.” — JAY-Z

“HUMBLE.” — Kendrick Lamar

“24K Magic” — Bruno Mars

Música do ano

“Despacito (Remix)” — Luis Fonsi & Daddy Yankee feat. Justin Bieber

“4:44” — JAY-Z

“Issues” — Julia Michaels

“1-800-273-8255” — Logic feat. Alessia Cara & Khalid

“That’s What I Like” — Bruno Mars

Álbum de Rap

“4:44” – Jay-Z

“Damn” – Kendrick Lamar

“Culture” – Migos

“Laila’s Wisdom” – Rapsody

“Flower Boy” – Tyler, the Creator

Revelação

Alessia Cara

Khalid

Lil Uzi Vert

Julia Michaels

SZA

Performance solo de pop

“Love So Soft”, Kelly Clarkson

“Praying”, Kesha

“Million Reasons”, Lady Gaga

“What About Us”, P!nk

“Shape Of You”, Ed Sheeran

Álbum de pop com vocal

“Kaleidoscope EP”, Coldplay

“Lust For Life”, Lana Del Rey

“Evolve”, Imagine Dragons

“Rainbow”, Kesha

“Joanne”, Lady Gaga

“Divide”, Ed Sheeran

Álbum de rock

“Emperor of Sand”, Mastodon

“Hardwired … to Self-Destruct”, Metallica

“The Stories We Tell Ourselves”, Nothing More

“Villains”, Queens of the Stone Age

“A Deeper Understanding”, The War on Drugs

Colaboração em rap

“Prblms” – 6lack

“Crew” – GoldLink featuring Brent Faiyaz & Shy Glizzy

“Family Feud” – Jay-Z featuring Beyoncé

“Loyalty” – Kendrick Lamar featuring Rihanna

“Love Galore” – SZA featuring Travis Scott

Canção de rap

“Humble” – Kendrick Lamar

“Bodak Yellow” – Cardi B

“Chase Me” – Danger Mouse, Run The Jewels & Big Boi)

“Sassy” – Rapsody

“The Story of O.J.” – Jay-Z

Performance de rap

“Humble” – Kendrick Lamar

“Bounce Back” – Big Sean

“Bodak Yellow” – Cardi B

“4:44” – Jay-Z

“Bad and Boujee” – Migos featuring Lil Uzi Vert

Performance de duo ou grupo

“Feel It Still” – Portugal. The Man

“Something Just like This” – The Chainsmokers and Coldplay

“Despacito” – Luis Fonsi and Daddy Yankee featuring Justin Bieber

“Thunder” – Imagine Dragons

“Stay” – Zedd and Alessia Cara

Álbum com vocal de pop tradicional

Tony Bennett Celebrates 90 – Dae Bennett, producer (various artists)

Nobody but Me (deluxe version) – Michael Bublé

Triplicate – Bob Dylan

In Full Swing – Seth MacFarlane

Wonderland – Sarah McLachlan

Gravação dance

“Tonite” – LCD Soundsystem

“Bambro Koyo Ganda” – Bonobo featuring Innov Gnawa

“Cola” – CamelPhat & Elderbrook

“Andromeda” – Gorillaz featuring DRAM

“Line of Sight” – Odesza featuring WYNNE & Mansionair

Álbum dance ou de eletrônica

3-D The Catalogue – Kraftwerk

Migration – Bonobo

Mura Masa – Mura Masa

A Moment Apart – Odesza

What Now – Sylvan Esso

Performance R&B

“That’s What I Like” – Bruno Mars

“Get You” – Daniel Caesar featuring Kali Uchis

“Distraction” – Kehlani

“High” – Ledisi

“The Weekend” – SZA

Performance tradicional de R&B

“Redbone” – Childish Gambino

“Laugh and Move On” – The Baylor Project

“What I’m Feelin'” – Anthony Hamilton featuring The Hamiltones

“All the Way” – Ledisi

“Still” – Mali Music

Música R&B

“That’s What I Like” – Bruno Mars

“First Began” – PJ Morton

“Location” – Khalid

“Redbone” – Childish Gambino

“Supermodel” – SZA

Performance urbana contemporânea

“Starboy” – The Weeknd

Free 6lack” – 6lack

“Awaken, My Love!” – Childish Gambino

“American Teen” – Khalid

“Ctrl” – SZA

Álbum R&B

“24K Magic” – Bruno Mars

“Freudian” – Daniel Caesar

“Let Love Rule” – Ledisi

“Gumbo” – PJ Morton

“Feel the Real” – Musiq Soulchild

Melhor Clipe

“Humble” – Kendrick Lamar

“Up All Night” – Beck

“Makeba” – Jain

“The Story of O.J.” – Jay-Z

“1-800-273-8255” – Logic featuring Alessia Cara & Khalid