A luta pelo maior reconhecimento é uma constante na história feminina no esporte em todos as décadas. Afinal, muitas modalidades ainda têm a figura masculina como referência, embora várias mulheres tenham uma trajetória mais vitoriosa que boa parte dos homens, como a tenista norte-americana Serena Williams.

Parte dessa luta também se insere na inserção cultural no cinema, na qual os documentários exercem um papel de amplo destaque ao retratarem a história de mulheres no esporte, tanto do ponto de vista de conquistas quanto na constante batalha por afirmação em um ambiente que em muitos casos é dominado pela cultura machista e paternalista.

Abaixo, listamos cinco documentários que contribuem para a construção dessa imagem positiva as mulheres no esporte pelo Brasil e por todo mundo. São produções nacionais e internacionais que permeiam diversas modalidades, com atletas olímpicos de destaque. Confira!

Mulheres Olímpicas (2013, 52min)

Dirigido pela vencedora do “Grande Otelo” Laís Bodanzky (a mesma de “Como Nossos Pais” e “Bicho de Sete Cabeças”), o documentário é uma rica retrospectiva da vitoriosa trajetória das mulheres brasileiras nos Jogos Olímpicos ao longo de 80 anos. Não à toa integra o projeto Memória do Esporte Olímpico.

Lançado em 2013, o filme resgata a uma história que começou com a nadadora Maria Lenk nas Olimpíadas de 1932 (Los Angeles), com a primeira participação feminina brasileira na história dos Jogos, passando pela primeira medalha (conquistada em Atlanta 96) e outras façanhas até Londres 2012. É uma ótima pedida para quem quer relembrar a trajetória de atletas como Yane Marques, Maureen Maggi, Magic Paula, Hortência, Sarah Menezes, Fabi (foto), Daiane dos Santos e tantas outras “heroínas” que marcaram história no esporte nacional em diferentes décadas.

Rainha Hortência & Magic Paula (2016, 26min)

Por falar em Olimpíada, não dá para recordar a trajetória brasileira sem mencionar a maior geração do basquete feminino em todos os tempos, que foi comandada por duas gigantes do esporte nacional: Hortência Marcari e “Magic” Paula. Neste documentário dirigido por Rubens Rewald e lançado em 2016, você conhece mais a fundo a trajetória das duas melhores jogadoras brasileiras quando o assunto é basquete.

Por meio da história de Hortência e Magic Paula, o filme é um convite para conhecer toda uma geração vitoriosa da década de 90, que tem como grandes méritos o ouro pan-americano em Havana (1991), o título mundial na Austrália (1994) e a prata olímpica em Atlanta (1996). O documentário também compõe o projeto Memória do Esporte Olímpico e está disponível na íntegra e de forma gratuita no site de ESPN.

Poker Queens (2020, 1h20min)

O poker é um esporte da mente que, assim como muitos outros, está amplamente relacionado ao público masculino. Porém, a presença feminina é cada vez mais constante e relevante, e este documentário lançado neste ano no Amazon Prime Video mostra como o jogo de cartas cresce entre as mulheres no mundo todo.

Dirigido por Sandra Mohr (que também é uma praticante do esporte), o filme aborda a trajetória de diversas mulheres no poker, como Jennifer Harman, Jennifer Tilly (foto), Loni Harwood, Kristen Bicknell e Liv Boeree. Porém, não é preciso ir muito longe para encontrar jogadoras que são referência no esporte: é o caso da curitibana Dayane Kotoviezy, considerada a melhor do país atualmente.

Being Serena (2016, 2h26min)

Seria difícil contar a história de uma das maiores atletas da história do tênis mundial de uma vez só. Por isso, a HBO optou por dividir o brilhante documentário sobre Serena Williams em cinco episódios. Produzido por alguns dos maiores talentos da empresa (Mark Shapiro, Michael Antinoro e Will Staeger), está disponível na plataforma HBO GO.

“Being Serena” vai além de mostrar a trajetória de Serena Williams ao longo de quase três décadas de ótimos resultados no circuito mundial da WTA. O documentário mostra o dia a dia na tenista, como ela dividiu a carreira com uma gravidez e seu papel como empreendedora, filantropa e influenciadora do universo fitness e da moda.

Ronda Rousey: Força e Glória (2019, 1h44min)

Por fim, uma opção para quem gosta de artes marciais e quer conhecer a fundo a trajetória de uma medalhista olímpica de bronze no judô que se tornou a grande impulsionadora do MMA feminino e levou à modalidade a um outro patamar: Ronda Rousey.

O filme da Netflix dirigido por Gary Stretch (ex-campeão mundial de boxe) conta todas as dificuldades da infância, o treinamento com sua mãe, a carreira olímpica no judô e a transição para as artes marciais mistas, quando ela se uma das maiores estrelas do Ultimate Fighting Championship (UFC) antes de migrar para o PRO Wrestling. Por muito tempo, Ronda foi uma das mais influentes personalidades e todos os esportes femininos.