Uma senha sera enviada para seu e-mail

Δ

Beyoncé e Justin Bieber.

Rihanna e Pharrel.

Estes são alguns artistas que as teorias da conspiração apontam incluir vários indícios e símbolos que confirmariam a existência de grupos secretos que tentam controlar a mente da população através de entretenimento pop e produtos nocivos viciantes.

Numa rápida busca no Google é fácil encontrar inúmeros sites e vídeos com teorias das mais criativas, revelando desde planos para eliminar famosos que se rebelam, passando por músicas com mensagens subliminares para convocar os jovens, até um esquema de marcas de bebidas tentando envenenar as pessoas com whiskey e vodka.

O mais famoso desses grupos conspiratórios seriam os Illuminati, uma ordem global oriunda do século XVIII que reúne o 1% mais brilhante da humanidade com a intenção de dominar os outros 99% e emplacar vários #1 nos charts Hot 100 da Billboard. Mas se de fato Jay-Z algum dia será imperador do mundo e Lady Gaga voltará a fazer música boa, não se sabe. São mistérios além da compreensão humana.

Balela ou não, ninguém além daqueles que estampam o olho de hórus em seus álbuns sabe a resposta.

O que é certo é que as pessoas amam grupos secretos e exclusivos. E se envolve música legal e bons drinks, gostam mais ainda.

Na cidade de Curitiba existem algumas festas que provavelmente você não conheça, porque a intenção delas é exatamente essa.

Inclusive, a relação com essas festas já começa ao tentar achar um jeito de ir, porque algumas delas envolvem listas fechadas, eventos secretos ou senhas requisitadas. Então antes que a Nova Ordem Mundial alcance o domínio totalitário sobre o planeta, que tal (tentar) conhecer alguma delas.

Δ

Anexo Q

O Anexo é uma festa secreta do Q Restô/Bar, um dos novos lugares mais empolgantes para conhecer na cidade (já falei sobre o restaurante aqui). A data sempre é revelada na semana da festa, em um perfil fechado no Instagram (@anexo.q) e parar fazer parte é preciso seguir a página e esperar que eles aceitem você. Os participantes são todos vips, sem custo de entrada, e lá podem provar uma carta de drinks criada especialmente para a festa, além dos drinks clássicos da casa, como o Kashmir, um dos melhores de Curitiba feito à base de gin e especiarias, e dos deliciosos pratos assinados pelo chef Adriano Quaranta.

No dia do Anexo, as mesas do restaurante dão lugar a uma pista de dança intimista com Djs convidados que focam no eletrônico e house. E se você for aceito e resolver ir nesta, é bom pensar bem na roupa, pois o público da festa não economiza esforço e elegância na hora de montar o look pra noite. Fica quase no nível Baile da Vogue.

Dica: Se for pedir drinks com gin, experimente a versão Christina Aguilera que vem servida fartamente numa garrafa de vidro estilizada, num trocadilho com Gin in a Bottle.

Dica 2: Os rumores apontam dia 29 de março como data da próxima edição.

Covil

A Covil tem proposta lounge e foca na experiência de drinks e música eletrônica fina. O cardápio de bebidas é assinado pelo premiado bartender Lukinhas Siqueira, que já atuou em várias das principais casas de Curitiba e atualmente está no grupo Mais 55. Mas diferente do que possa parecer, o preço dos drinks é bastante acessível e a preparação mantém a excelência conhecida de Lukinhas, por isso é uma ótima oportunidade para experimentar coisa boa sem gastar muito.

A música também é um dos destaques. Com foco num eletrônico dançante, a festa junta a experiência de anos do DJ Pedro Grego com Djs convidados de destaque no cenário musical da cidade. Outro ponto legal é que a festa é itinerante, então a cada edição o espaço pode mudar, propondo lugares inusitados com área aberta ampla e confortável. E como acontece sempre um domingo de cada mês, é um jeito de aproveitar tardes ensolaradas com bons drinks ao invés de ficar fechado em casa assistindo Faustão.

Dica: A próxima edição é dia 25 de março e para participar é preciso estar no evento fechado que a festa cria no facebook ou falar com os organizadores.

Dica 2: O Lukinhas faz o próprio refrigerante artesanal de gengibre, por isso vale muito a pena pedir o Moscow Mule que ele prepara.

Ginger Bar

O Ginger pode já não ser mais tão secreto assim, porque todo mundo já quis conhecer, mas isso não quer dizer que ele tenha perdido o charme, muito menos a qualidade na preparação dos drinks.

Como foco em bebidas à base de gin, o bar, de decoração burlesca decadente, oferece uma extensa carta de drinks e comidinhas, com preço justo. O lugar pode ser difícil de encontrar na primeira vez, pois não tem fachada e fica nos fundos de uma galeria de arte, e para entrar é preciso saber a senha secreta do dia. Mas o esforço para tentar descobrir a senha e achar a entrada é compensado pelo ambiente super agradável e charmoso.

Dica: Você pode tentar conseguir a senha por inbox direto na página do facebook do bar.

Dica 2: Vá às quintas-feiras, que é quando acontece apresentações especiais com artistas burlescos, e chegue cedo para conseguir mesa.

Wild

A Wild é uma festa temática que acontece mensalmente no Soviet Club e mesmo não sendo exatamente secreta, uma vez que não é preciso apresentar senha ou estar em listas especiais para entrar, é a festa que mais parece ter saído de um filme sobre grupos secretos e seus rituais festivos.

Para começar, não é permitido usar celular dentro da casa. O público precisa deixar seu smartphone em casa ou, se preferir, guardá-lo em saquinho plásticos lacrados, que só podem ser abertos ao final, depois de pagar a comanda. Isso tudo por conta das atrações especiais que se apresentam e para deixar as pessoas mais à vontade para entrar no clima, sem o receio de ir parar no stories de algum perfil no Instagram ou em fotos não autorizadas. É algo como ‘O que acontece em Vegas, fica em Vegas’. Isso porque envolve dançarinas, pole dance, body shot, pista fervida e até a possibilidade de fazer tatuagem durante a noite. Tudo ao som de eletrônico e pop dançante e vários drinks exclusivos assinados pelo bartender Renato Faro.

Dica: Um dos destaques do cardápio de drinks é o Alaska, feito à base de gin e purê de frutas vermelhas e com preço bem acessível.

Dica 2: Se beber, não case. Nem faça tatuagens sem pensar duas vezes antes.

Δ

Teorias da conspiração à parte, esse esquema de festas secretas parecem uma tendência crescente na cidade.

Isso porque, além da diversão do jogo de descobrir senhas ou tentar entrar em perfis fechados no Instagram para conseguir nome na lista, tem o apelo de fidelização do público, oferecendo aos clientes fiéis benefícios, descontos e mordomias que o esquema tradicional não comporta.

Nunca saberemos se os diamantes de Sierra Leone, do Kanye West, ou se a capa de Blood on the Dance Floor, do Michael Jackson, são mensagem de dominação global e um prenúncio aos atentados do 11 de setembro, respectivamente.  Ou se a Nova Ordem Mundial realmente tomará o poder em 2018, como professado por vários blogs e nerds desocupados.

Há apenas a certeza de que drinks são amigos.

Ou não.

Δ