Compulsão – comportamento cometido em excesso.

Existem vários tipos de comportamentos compulsivos que geralmente são negativos e trazem graves prejuízos à vida da pessoa, porém o objetivo deles existirem é sempre o mesmo: a busca de um bem estar.

Todos nós temos comportamentos natos, que dificilmente controlaremos, e inatos, que chamamos de hábitos, que se estabelecem através das repetições e se tornam repetitivos, como um reflexo condicionado. Eles se consolidam na nossa memória, ao criar um caminho no sistema nervoso. Por isso apresentamos respostas padronizadas para cada situação. Geralmente seguimos o exemplo dos nossos pais, pois eles nos colocam crenças familiares desde muito cedo, e seguimos nossa vida acreditando que as crenças são nossas. Por isso, muitas vezes, temos situações na nossa vida que não gostaríamos de ter.

As compulsões são hábitos específicos que se repetem mesmo quando são inconvenientes ou nocivos, como o uso abusivo de álcool, drogas, também de comprar, comer, jogar, trabalhar, mentir; fazer sexo ou praticar atividades físicas em excesso ou até à fuga do convívio social. E ainda pode ser os mais diversos tipos de comportamentos.

Não há uma causa concreta para gerar a ocorrência de comportamentos compulsivos. Geralmente está ligada ao fato de a pessoa ter um problema que não consegue resolver, pode ser consciente ou não, mas de qualquer forma, trata-se de uma tentativa de compensação.

As compulsões ou comportamentos compulsivos são hábitos repetitivos que se apresentam de forma frequente e excessiva, quase automática. São comportamentos aprendidos, cometidos em busca de gratificação emocional, normalmente um alívio da ansiedade ou da angústia. A recompensa que se segue ao ato, seja o prazer ou alívio do desprazer, reforça a pessoa a repetir tal comportamento. Porém após esse alívio imediato, segue-se uma sensação de culpa por não ter resistido ao impulso.

Ao meu ver é um pouco diferente do transtorno mental TOC (transtorno obsessivo compulsivo), a compulsão trata-se de um comportamento quase automático, sem muita consciência. Já o TOC está sempre ligado a ansiedade e a um pensamento, o comportamento é cometido com o propósito de evitar algo ruim, uma tentativa de enfrentamento.

Toda pessoa que sofre de Transtorno Obsessivo Compulsivo apresenta uma compulsão, mas nem toda pessoa que tem compulsão tem o transtorno mental.

Para que você entenda melhor essa diferença, pense no exemplo da compulsão alimentar, o comportamento de comer compulsivamente geralmente está ligado a um grande sentimento de falta, o objetivo é compensar. Dificilmente a pessoa que sofre desse tipo de compulsão apresenta um pensamento de que se não comer, algo de ruim irá acontecer, como é comum nos que sofrem de TOC. Normalmente a pessoa não pensa sobre o assunto, apenas quer sentir prazer. Outro exemplo é o jogo, a pessoa busca apenas a sensação prazerosa de ganhar e sentir-se importante e admirado.

Atualmente, o problema principal do Ser humano, de uma forma geral, é viver no “piloto automático”. Falta equilíbrio e conexão consigo mesmo. Isso gera a falta de autoconhecimento e por isso não sabem quais sãos seus reais problemas, não identificam de onde vêm suas crenças. E assim apresentam comportamentos sem controle e sem finalidades. Mesmo sendo difícil, é preciso enfrentar esse problema e mudar os hábitos, pois da mesma forma que foram aprendidos podem ser desaprendidos.

COMO TRATAR UMA COMPULSÃO:

Um motivo que pode desencadear um comportamento compulsivo pode ser alterações funcionais e da neuroquímica cerebral, então será preciso o acompanhamento de um Psiquiatra.

Caso não haja nenhuma questão biológica, para tratar uma compulsão é preciso descobrir o real motivo pelo qual aquela pessoa sofre. Desenvolver no nela uma visão mais consciente da realidade e identificar fatores motivadores para que haja uma mudança de hábito. Um Psicólogo poderá auxiliar.

É de extremamente importante a dedicação e determinação do paciente para que se tenha um resultado satisfatório.

SINAIS DE QUE VOCÊ PODE SER COMPULSIVO:

– Não consegue controlar a vontade de fazer algo?

– Sente culpa na maioria das vezes que se comporta de determinada forma?

– A maioria dos seus comportamentos não te leva ao teu objetivo?

– Você mente para justificar seus comportamentos?

– Se não fizer algo, fica muito irritado e não para de pensar no que quer fazer?

– Pensa muito em fazer coisas que te prejudicam ou prejudica aos outros?   

– Você sente vergonha de contar aos outros o que você faz com frequência?

– Você negligencia atividades que tem a responsabilidade de fazer ou pessoas importantes?

– Você usa muito a palavra “preciso”?