A literatura de cordel, típica do Nordeste brasileiro, é a fonte de inspiração do novo espetáculo para crianças de todas as idades da Cia. Regina Vogue. Em “Chapeuzinho Cor de Mel e um Monstro pra lá de Cruel”, que estreia no dia 7 de fevereiro, o conto de fadas europeu do século XIV ganha uma versão moderna e traz à tona uma discussão atual. Os ingressos são gratuitos.

A partir de uma caixa de música, que se desdobra em vários objetos e espaços no palco, quatro atores contam a história da menina que vai até a casa da avó doente e no caminho se depara com uma figura sinistra. No caso da montagem, sai de cena o lobo mau e entra em ação o mosquito da dengue.

Através das rimas e da musicalidade típicas do cordel, o tema é trazido à tona de forma lúdica, informativa, mas sem apelar às lições de moral ou a um tom demasiadamente didático.

A xilogravura, técnica bastante utilizada para a impressão das gravuras do cordel, inspira o espetáculo nos figurinos de Eduardo Giacomini e no cenário de Rhenan Queiroz. A trilha sonora, assinada pelo ator e músico Diegho Kozievitch, percorre diferentes ritmos brasileiros e também busca referências no tango argentino.

Outro ponto que merece destaque diz respeito ao trabalho dos atores Amanda Leal, Jeff Franco, Renet Lyon e Taciane Vieira em cena. O texto de “Chapeuzinho Cor de Mel e um Monstro pra lá de Cruel” é de Hardy Guedes e a temporada segue até 1.º de março, com sessões aos sábados e domingos, às 16 horas. Entrada gratuita.

Foto: Chico Nogueira

You have Successfully Subscribed!