Você acredita que a sua casa está segura para o seu filho (a)? Eu acreditava que a minha estava, mas a cada dia que passa surge um novo perigo. Todos os dias as crianças vão descobrindo novas oportunidades de experimentar e vão adquirindo também habilidades para isso. E, não digo habilidades sugerindo que esse “experimentar” seja benéfico, mas sim, um risco! Por exemplo: o bebê que antes só ficava no colo agora começou a engatinhar e com isso surgem novas preocupações como, por exemplo, a limpeza impecável do piso e o risco de pegar algo no chão e levar a boca. Mais a frente, o bebê que engatinhava começou a ficar em pé e ensaia os primeiros passos. Então, temos outros cuidados. Pois agora, objetos que antes não poderiam ser alcançados já estão mais fáceis, além dos riscos de quedas e possíveis encontros com as “quinas dos móveis”. Observando os riscos que já amenizei em casa e os novos riscos que vão surgindo, decidi colocar aqui alguns cuidados em cada fase. Optei por listar por habilidades motoras e não meses, pois é muito relativo a idade da criança e a habilidade conquistada. Como são dicas empíricas, listo os cuidados e dicas até mais ou menos os dois anos, idade da minha filha.

Os tatus bolinhas que já rolam sozinhos

 

segura bebe Tricae Linha Sara Hug

 

Uma dica interessante nesta fase são aqueles rolinhos, os tais do “segura bebê”. Ganhei um de uma tia minha em um Chá de Fralda surpresa em União da Vitória. Ele foi muito útil, pois, além de não deixar a minha filha virar sozinha a noite com risco de se afogar e/ou ficar com pouco ar, ainda servia para que eu deixasse o cobertorzinho dela mais fixo por baixo dos dois rolinhos de almofada. Deixar a coberta fixa também é uma precaução super importante, pois além de deixar seu bebê quente a noite toda, também evita que fiquem com o rosto por baixo.

Já ficam sentados sozinhos (quanta independência)

 

almofada

 

O bebê já senta, mas não fica firme ainda e qualquer coisinha pode ser suficiente para ele cair. Está ai o perigo! No meu caso, sempre buscava colocá-la em um lugar macio e, a meu ver, melhor ainda se for no chão, pois ao caírem podem rolar e um tombo nesta idade pode ser um grande trauma para esses pequenos. Outra dica interessante é usar a própria almofada de amamentação para sustentar o bumbum do bebê. Basta colocar ele sentadinho dentro da meia lua. Lembrando: sempre cuidando com o local, pois se o bebê se desequilibrar a cabecinha poderá bater, por isso a importância de uma superfície segura.

Aos que engatinham por tudo

 

tomadaengatinha

 

Você pode estar prestes a perder aquele aconchego no colo. Quando começam a se locomover por si mesmos os braços da mamãe ficam para a hora do sono e olhe lá. Além do cuidado com a limpeza do chão e dos batentes das portas e rodapés, principalmente se forem de madeira, e assim ótimas casinhas para aranhas, as tomadas também são extremamente perigosas! Em lojas de materiais de construção ou até mesmo aquelas lojas de tudo um pouco tem para vender os protetores. Podem ser encontrados em diferentes cores e vem com uma chavinha para retirá-lo o que faz com que o bebê não consiga colocar seu dedinho e nem colocar algo mais fininho dentro da tomada, como um papel, um lápis, ou algo provavelmente improvável (é pra ser contraditório mesmo) que você venha a descobrir da pior forma.

Danadinhos, já ficam em pé

 

bebeberco

 

E é num piscar de olhos que isso acontece! Normalmente vemos primeiramente no berço, quando eles agarram as grades e ficam de pezinho. Depois, ainda no berço, começam a pular e a ter mais segurança. Quando isso acontece, além de termos que prestar bem atenção se a grade (se for de baixar e levantar) do berço está bem fixa, temos também que monitorar se não é hora de baixar mais o estrado, pois eles começam a ficar mais fortes e podem sim, acredite que sim, escalar e rolar por cima da grade. Quando estão no chão, alguns cuidados com a altura dos objetos e também com o travamento das gavetas se faz necessário. Em lojas de materiais de construção e multi coisas são facilmente encontradas. Essas mesmas também podem ser usadas no vaso sanitário, já que, de pé, já conseguem se erguer e abrir a tampa. Em casa, temos também uma mesa de jantar com tampo de vidro e, antes da nossa filha nascer ela era meio bamba. Logo que fiquei grávida tratei de arrumá-la, pois com o bebê nessa fase poderia acontecer um acidente sério se esticasse os bracinhos e se pendurasse no tampo.

Os primeiros passos

 

primeiros passos

 

Aqui, além do cuidado com o entorno é bom lembrar sobre a qualidade do que estão calçando nos pés. Somente sapatinhos antiderrapantes e bem confortáveis. Caso o bebê goste, também pode ser apenas meias com o solado emborrachado, elas são até melhores neste inicio, pois a criança consegue sentir todo o pezinho no chão e com isso ficar mais firme. Além disso, é necessário olhos ainda mais atentos, pois a cada passo é possível um desequilíbrio. Caso se trate de um piso liso e macio, deixar a criança cair não é prejudicial, mas tem que estar alerta. Móveis soltos no caminho, tapetes com bordas enroladas e até mesmo móveis com as laterais muito pontudas são riscos. No caso das quinas é possível comprar protetores de plástico que se encaixam e amortecem um possível choque.

Crescidos, agora alcançam as fechaduras!

 

Sonambulismo-infantil

 

De um dia para o outro eles esticam! Parece que foi ontem e quando você vê mais 10 cm de altura surgiram em um piscar de olhos. Aqui em casa, principalmente quando estou sozinha com a nossa pequena, eu já deixo as chaves longe do alcance e fora das portas. Isso porque assim que alcançam as portas a habilidade para girar as chaves parece que nasce junto com os centímetros a mais! Neste caso, melhor deixar longe. Essa alternativa também é válida como medida preventiva para filhos que tem sonambulismo.

 

Espero que as minhas experiências tenham lhe auxiliado. Quero saber as suas também. Que tal deixar um comentário?

 

Beijos e até o próximo “Conselho de mãe”. 😉