Se está rolando uma discotecagem com muita batucada de bamba e sonoridade brasuca com aquelas músicas antológicas que todos gostam de se jogar, por trás desta pickup está a Produtora Cultural e DJ, Adri Menegale. Desde 2012, essa menina-mulher realiza diversas festas em Curitiba e se apresenta por todos os cantos dessa tropicalidade brasileira. Mas é em Curitiba seu porto seguro onde há três anos se consolidou à frente de diversas produções e realizações que rendem propostas até hoje. Adri Menegale é defensora do cenário musical de Curitiba. Em sua setlist sempre tem bandas e artistas locais.

12109113_1651764715095399_8155726126240500939_n

Em um cenário onde inicialmente os homens dominavam o mercado, para Adri, o maior alicerce de sua cadência é estar junto de profissionais da área que agregam experiências em sua trajetória. “Acho que essa classificação de Dj homem e Dj mulher só vem pra alimentar sexismo e preconceito. Posso dizer da minha relação neste meio. Sempre procurei estar de alguma forma no meio de profissionais que são refêrencia para mim. O fato de ser produtora ajudou bastante, pois pude chamar várias dessas pessoas que são referências pra mim para os eventos de que fiz parte”, define Adri.

Atualmente, Adri Menegale é responsável pelo selo Misturi-C, e em cada edição, assim como a proposta dessa reunião festiva, é integrar, misturar, fazer aquele balacobaco tendo em cada edição uma pegada diferente. Neste sábado, será realizada a edição “Curupira”, do groove ao maracatu, na Sociedade Beneficente 13 de Maio. A partir das 22h o Misturi-C encerra o mês de outubro com a presença das bandas Charles Racional, comandada pelo vocalista Diego Machado, apresentando músicas próprias e um repertório com tributo especial ao mestre Chico Science e às músicas de Nação Zumbi, e ainda tem Maracataia.

12108788_1655855834686287_2078416863947378905_n

Além do Charles Racional, chega junto nesse bonde a performance da Orquestra Friorenta com todo aquele gingado pélvico ao som dos músicos Bernardo Bravo, Janine Mathias, Du Gomide, Denis Mariano, Amanda Pacífico, Janaina Fellini, Naíra Debértolis da Motta e Lucas Ajuz. Nessa levada brasileiríssima, tem também a setlist de Antonio Ramos. E claro, a mentora dessa misturada toda, Adri Menegale, coloca toda essa festa tupiniquim, dando o pontapé paras as últimas do ano. Ela conta para o Curitba Cult algumas curiosidades do seu circuito musical.

Curitiba Cult: A partir de qual momento surge em você o interesse por ser DJ e o que te motivou?

Adri Menegale: Como produtora acho que a discotecagem veio pelo gosto de colocar uma “vibe” no começo e no fim dos meus eventos. O primeiro contato foi por um convite do produtor Gil Preto para que fizesse um dj set na festa brasilidades em dezembro de 2012. Foi uma experiência que me tocou bastante, tanto que um mês depois eu já comprei uma controladora e comecei essa caminhada.

Você se lembra de qual foi a primeira música que você colocou nas pickups?
16 toneladas – Funk como Le Gusta

Atualmente seu trabalho de maior demanda tem sido com o selo Misturi C. Como surgiu a ideia e quais são as pretensões com o selo?
A Misturi C surgiu como uma evolução do meu trabalho, e, como o próprio nome já diz: é tempo de se misturar e de ampliar os temas e os lugares das festas. Um dia pode ser na rua no outro, no jardim de um bar. Um dia pode ser black music, no outro puro tropicalismo. A Misturi C vem para responder uma pergunta: por que não?

Qual a maior dificuldade em realizar produções e apresentações em Curitiba?
Chuva.

Quais músicas você tem escutado a nível nacional e de Curitiba?
DuSouto, Black Alien, o novo álbum do Instituto e Janine Mathias.

Quais são as próximas datas de suas apresentações/produções?
31.10 – Curupira
14.11 – Fervo do Jambu
29.11 – Misturi C na Rua

(Imagens: Divulgação/Misturi C)