Lily Allen nunca foi uma pessoa de medir as palavras. Sempre deixou bem claro que tem uma opinião sincera e não esconde em falar o que realmente pensa sobre qualquer assunto, principalmente politicamente falando. E não seria diferente dessa vez na entrevista em que deu para o site Vice.

Agora foi a vez da cantora se pronunciar sobre os movimentos #MeToo e #TimesUp, que receberam destaque e notoriedade das atrizes e atores de Hollywood, principalmente nas premiações.

De acordo com a britânica, os movimentos não estão com resultados eficientes. “Quem já foi preso? Quem já foi pra cadeia?”, indagou Lily, ao iniciar a conversa. “Se Harvey Weinstein tivesse sido acusado de 52 assassinatos, ele já estaria preso. Ele não está preso.

Ou a gente tem que ser honesto sobre o que nós julgamos ser aceitável em um nível humano, e temos que começar a punir isso como tal, ou nós apenas temos que parar. Quando as pessoas começaram a falar sobre coisas do #MeToo, o que eu vi foi um monte de homens dizendo, ‘eu não, eu não me comporto desse jeito’, enquanto muitos homens que eu conheço se comportam desse jeito sim”, afirmou a cantora.

Ninguém está fazendo nada, entende o que eu digo? Eles não estão mudando o comportamento deles”, afirmou. “Apenas isso não parece estar sendo visto de forma tão séria. Ninguém está mudando. Todo mundo está dizendo, ‘isso aconteceu comigo, isso é realmente péssimo’, mas o que está acontecendo como resultado? Tipo, ah tem uma humilhação pública acontecendo, ‘ah não, oh meu Deus, você foi exposto no Twitter’. Isso não muda nada do que aconteceu”, concluiu Lily Allen.

Lily Allen se prepara para lançar álbum novo, o “No Shame”, que está com lançamento marcado para o dia 8 de junho.