Um dos concertos mais esperados da programação artística da primeira fase da 33ª Oficina de Música de Curitiba acontece às 20h30 desta quinta-feira (15), no Guairinha (Auditório Salvador de Ferrante). “Quarteto Carlos Gomes convida Antonio Meneses” é o espetáculo que reúne duas das maiores expressões musicais do Brasil.

O celebrado violoncelista pernambucano Antonio Meneses junta-se à sonoridade consagrada do Quarteto Carlos Gomes, que conquistou a crítica especializada pela paixão com que abraça a música de câmara, para executar as obras “Quinteto em Dó Maior Op. 163 D.956”, de Franz Schubert (1797 – 1828), e “Quinteto para viola em Sol Menor, K 516”, de Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791). O concerto também tem a participação da violista norte-americana Jennifer Stumm, que integra o corpo docente da Oficina de Música.

Carreira brilhante

Verdadeiro fenômeno da música clássica mundial, Antonio Meneses é um dos poucos brasileiros que pertencem de fato ao grupo estelar dessa área. Nascido em 1957, em Recife (PE), Antonio Meneses passou a viver no Rio de Janeiro ainda bebê, porque seu pai, o trompetista João Jerônimo de Meneses, foi convidado a integrar o elenco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Com seis anos de idade começou os estudos de violoncelo, vencendo vários concursos, entre eles a prova para solista da Orquestra Sinfônica Brasileira. Aos 17 anos foi estudar na Alemanha, onde frequentou a Escola Superior de Música de Dusseldorf e depois seguiu para Stuttgart, sendo que em 1977 obteve o primeiro lugar, por unanimidade, no Concurso Internacional de Munique, competindo com 40 candidatos.

Em 1982 venceu o Concurso Tchaikovsky de Moscou (Rússia) e iniciou uma carreira brilhante. Gravou com o maestro austríaco Herbert von Karajan, um dos maiores regentes do século 20, e a Orquestra Filarmônica de Berlim. Os registros da peça “Don Quixote”, de Richard Strauss, e do “Concerto Duplo”, de Johannes Brahms (que contou também com a violinista Anne-Sophie Mutter), feitos com Karajan, são itens obrigatórios em discotecas de música clássica. Em 1997 gravou o CD “Preludiando”, com clássicos do choro e músicas de sua autoria.

Apresenta-se regularmente com as mais importantes orquestras do mundo como a Filarmônica de Berlim, Sinfônica de Londres, Sinfônica da BBC, Orquestra do Concertgebouw de Amsterdam, Sinfônica de Viena, Filarmônica Tcheca, Filarmônica de Moscou, Filarmônica de São Petersburgo, Filarmônica de Israel, Orchestre de la Suisse Romande, Orquestra da Rádio da Baviera, Filarmônica de Nova Iorque, National Symphony Orchestra (Washington D.C.) e a Sinfônica NHK de Tóquio.

Com extensa discografia, foi membro do Beaux-Arts Trio, tendo cooperado com os quartetos Emerson, Vermeer, Amati e Carmina. Além de sua agenda de concertos, Antonio Meneses orienta cursos de aperfeiçoamento na Europa, nas Américas e no Japão. Em outubro de 2007, assumiu a posição de professor de violoncelo no Conservatório de Berna (Suíça). Antonio Meneses toca um violoncelo de Alessandro Gagliano, feito em Nápoles (Itália), em 1730.

O Quarteto

O Quarteto Carlos Gomes é formado pelos melhores solistas de cordas do país: o violinista e maestro Cláudio Cruz, atual diretor artístico da Oficina de Música de Curitiba e spalla por 20 anos da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, regente da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e vencedor do prêmio Grammy Awards; Adonhiran Reis, spalla da Orquestra Sinfônica da UFRJ, professor do Conservatório Brasileiro de Música e ex-spalla da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto; Gabriel Marin, violista da Orquestra Sinfônica da USP e por muitos anos primeira viola da Orquestra Sinfônica Brasileira; e Alceu Reis, que como primeiro violoncelo liderou as orquestras do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sinfônica do Estado de São Paulo e Sinfônica Brasileira, além de vencer o prêmio Grammy Awards.

Um dos destaques do Festival Sesc de Música de Câmara, realizado em São Paulo, entre novembro e dezembro, o Quarteto Carlos Gomes revela o entrosamento dos instrumentistas, conquistado com exaustivos ensaios. Todos os integrantes do quarteto atuam como professores da Oficina de Música 2015.

Encerramento

O público ainda terá mais uma oportunidade de conferir a performance de Antonio Meneses. O violoncelista que gravou com o maestro austríaco Herbert von Karajan, um dos maiores regentes do século 20, e a Orquestra Filarmônica de Berlim, será solista do concerto de encerramento da fase de Música Erudita e Música Antiga da Oficina de Música de Curitiba 2015.

O espetáculo também acontece no Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto, às 20h30 do dia 17 de janeiro, com a Orquestra Sinfônica e Coro da 33ª Oficina de Música de Curitiba, tendo como regentes Cláudio Cruz e Mara Campos, respectivamente. No repertório estão o “Concerto para Orquestra e violoncelo em Mi menor Op. 85”, de Edward Elgar (1857 – 1934), e “Floresta do Amazonas” (para orquestra e coro), de Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959).

Quarteto Carlos Gomes tem Antonio Meneses como solista na Oficina de Música de Curitiba – Serviço

Quando: 15 de janeiro (quinta-feira)

Onde: Auditório Salvador de Ferrante – Guairinha

Horário: 20h30

Quanto: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada)