Todos nós estamos constantemente em movimento, aprendendo e mudando, conhecendo gente nova, nos apaixonando, nos desiludindo, amando, fazendo amizades, desfazendo amizades, desfazendo namoros e casamentos, nos entregando a novos relacionamentos, vivendo e aprendendo. Constantemente aprendendo e aprendendo sobre nós.

A única constante desse movimento é que esperamos demais do outro.

A melhor forma de aprender sobre nós mesmos é perceber quais conteúdos nossos projetamos nas pessoas. Os relacionamentos entre as pessoas são 90% projeções, principalmente a paixão, essa é pura projeção, até porque nos apaixonamos sem conhecer totalmente a pessoa, muitas vezes nos primeiros dias de relacionamento.

A melhor forma de viver um relacionamento é equilibrar o quanto você se preocupa com as necessidades do outro e quanto você se importa com as suas próprias necessidades. O quanto você espera que o outro lhe dê e o quanto você mesmo se supre, busca o autoconhecimento e faz para evoluir e se tornar um ser humano melhor.

Preste atenção em quais sensações o outro te faz sentir, as boas e as ruis.

Quais os pensamentos você tem na ausência do outro.

Quais fantasias você cria quando não sabe o que o outro está fazendo.

Tudo isso é projeção.

Para a maioria das pessoas, os pensamentos mais recorrentes são negativos. Será que ele, ou ela, também gosta de mim? Será que está me iludindo, me enganando, será que me fará sofrer? Você já teve esses pensamentos?

É nessa hora que devemos parar e perceber as projeções. As nossas necessidades projetadas no outro. Necessidade de atenção, de amor, de segurança, de carinho, afeto, compreensão, elogios, motivação. São as nossas carências projetadas no outro.

Todos os relacionamentos precisam ser equilibrados, é claro que vamos esperar muitas coisas de quem amamos, é saudável o carinho e a preocupação com o outro, e queremos que ele se preocupe com a gente também. É natural que as emoções do parceiro nos afetem, estamos juntos em construção.

Cada casal deve encontrar seu próprio jeito de se relacionar, um jeito que seja bom para os dois, buscando a parceria, o apoio e o amor no outro. Mas o segredo para um relacionamento feliz e saudável é cada um desenvolver autoconhecimento e tratar suas próprias feridas buscando apoio do outro para isso, e não buscando a cura no outro.

É preciso aprender com os relacionamentos, quanto mais difícil é um relacionamento, os abusivos principalmente, mais eles te mostram o que você precisa aprender sobre si mesmo. Porque você atraiu um relacionamento assim? O que ele te ensina? Porque ainda está em um relacionamento tão ruim? O que te prende? Essas respostas irão te curar.

A carência afetiva é uma dependência emocional, na qual buscamos no outro as nossas necessidades de amor e felicidade. Jogamos no outro a responsabilidade de nos fazer feliz, de cuidar de nós, de nos amar e de não nos ferir. Não vai dar certo jogar todas as nossas necessidades no outro e esperar que ele as resolva. Ele está tão necessitado quanto nós.

Também não conseguiremos suprir as necessidades do outro, assim como ele não conseguirá suprir as nossas. A maioria das mães tenta fazer isso, suprir todas as necessidades dos filhos, elas fazem o melhor que podem, mas olha o tanto de gente reclamando das próprias mães. Esperando que fizessem mais. Nós sempre queremos mais do outro porque não está no outro a cura das nossas necessidades.

Lembre-se que todos nós somos seres imperfeitos que reagimos buscando nos defender, conforme aprendemos. As pessoas mais agressivas são as que mais sofreram, é preciso ter compaixão com o outro ao mesmo tempo em que colocamos o limite de até aonde ele nos afeta.

A vida é aprimoramento, a felicidade só será encontrada dentro de nós quando olharmos para as nossas necessidades e começarmos a resolvê-las.

Se quiser conversar mais sobre isso, clica aqui.