O primeiro festival de contos de fadas do Brasil, “Era uma vez…eram duas, eram três” chega ao seu fim. Para encerrar a temporada foi escolhido o clássico da literatura infantil “O Mágico de Oz”. Com realização do Ministério da Cultura, apresentação da Montenegro Produções Culturais e apoio do Hospital Pequeno Príncipe, a obra de L. Frank Baum (1856-1919) ganha uma releitura inédita da Cia do Abração e será encenado no sábado e domingo, dias 08 e 09 de novembro, no palco do Teatro Bom Jesus, às 16 horas. Toda a renda da bilheteria será doada ao Hospital Pequeno Príncipe. E na mesma proposta desse projeto,a partir de março de 2015, a produtora apresentará o Festival Brinque de Lendas Brasileiras.

Na montagem, a protagonista, Doroti, briga com seus amigos e se sente incompreendida por seus avós. Em um ataque de fúria, a menina se vê abduzida por um furacão que a transporta para um lugar mágico e colorido. Na sua jornada, ela encontra um espantalho sem cérebro, um homem de lata sem coração e um tigre covarde. Todos se unem em busca daquele que poderá dar-lhes o que cada um necessita: o poderoso Mágico de OSS.

O ambiente cênico propõe alusões à cultura oriental, conferindo uma atmosfera mística da sabedoria e de reconhecimento das ações para a valorização de virtudes humanas. O quebra cabeça chinês conhecido como tangram e Mondrian foram as inspirações da Cia do Abração para criar o cenário. Reconhecido como um dos artistas de maior repercussão do século XX, Piet Mondrian foi um pintor holandês que levou a arte abstrata às últimas consequências. Por meio de uma simplificação, tanto na composição como no colorido, tentava expor os princípios que estão por baixo da aparência. Suas teorias sobre a abstração e a simplicidade não só alteraram o curso da pintura, como também influenciaram muito a arquitetura, o desenho industrial e as artes gráficas.

Peça encerra primeiro festival de contos de fadas do Brasil – Serviço

Onde: Teatro Bom Jesus (Rua 24 de maio, 135)

Quando: 08 e 09 de novembro (sábado e domingo)

Horário: 16h

Censura: livre

Ingressos: R$36 inteira e R$21 meia-entrada

Vendas: Disk Ingressos