A culinária japonesa me encanta. Por tudo! Pelo sabor das combinações ilógicas para nós ocidentais, pelo frescor, pelo inenarrável capricho com que é preparado e apresentado o alimento e, claro, pela arte de comer sushis e sashimis de forma que isso se torne um ritual.

Ritual esse que, segundo os próprios japoneses, está totalmente errado aqui no Brasil. Não se corta ou morde sushis e sashimis, e o shoyu não serve para inundar o arroz, e sim para molhar o peixe, APENAS. Aliás, a melhor técnica de se passar o molho de soja no peixe do nighiri (ou niguiri) quem me ensinou foi o proprietário do Aizu Restaurante, Edison Azuma, marido da querida Hilda Igarashi: você pega um pouco de raiz forte, que sempre vem nos pratos orientais, encharca no molho e pincela, delicadamente, o filé que cobre o arroz.

Aliás, é sobre o Aizu que eu quero falar hoje! Chegou em Curitiba de mansinho, funcionou alguns meses em soft opening e já ganhou o coração e o paladar dos curitibanos exigentes. O adorável casal que citei acima trouxe a ideia do restaurante de São Paulo — aliás, o chef Régis Shiguematsu veio de lá, de um dos melhores japoneses da cidade, o Nakka. O ambiente é muito clean, com destaque para madeira clara e decoração minimalista.

Foto de Marcelo Krelling

Foto de Marcelo Krelling

Além das mesas, o balcão me chamou atenção: ele rodeia o sushiman e permite que o cliente que ali resolver sentar acompanhe o preparo dos pratos crus. A decoração é minimalista e há luminárias modernas, com desenhos miúdos de estamparia japonesa. O salão todo comporta 40 pessoas.

Foto de Lex Kozlik

Foto de Lex Kozlik

CARDÁPIO

O cardápio é requintado e com combinações incomuns. Como era almoço de uma terça-feira, foi servido o Menu Executivo. Vale ressaltar que são duas opções: no menu de R$ 54,90 o cliente recebe a sequência composta por entrada, 3 sushis, 3 sashimis, sushis prensados e sobremesa. A versão de R$ 74,90 acrescenta o prato quente.

Na minha entrada, veio um Tartar de Salmão com ova de capelini e shoyu temperado com ervas — exclusividade da casa. O melhor que já experimentei. O frescor do salmão é evidente ao colocar na boca.

Tartar de Salmão

Tartar de Salmão

Logo depois, veio o primeiro principal. Os combinados vêm em uma caixa, inspirada nas ‘bentô boxes’ do Japão — um tipo de marmiteira. Olha, posso dizer que foi a melhor combinação que já provei: sushi com flor de sal — guarde esse nome! No prato quente, um peixe branco lindamente grelhado com arroz branco.

IMG_4349

A sobremesa dispensei porque não posso comer doces até novembro. Mas as opções são de dar água na boca: cheesecake de tofu com calda de frutas vermelhas; pannacotta de banana com calda de goiaba fresca; brigadeiro de colher; sorvetes no estilo sorbet de maçã verde ou gengibre e baunilha no preparo tradicional e frutas da estação.

IMG_4352

OPÇÕES NÃO FALTAM

Além dos já tradicionais (todos que você possa imaginar), você pode encontrar sashimi de salmão selado com trufas (R$ 47 / 5 fatias) e adição de ovas de arenque; salmão no maçarico (R$ 24); atum no maçarico (R$ 27) – com adição de gergelim e umê (ameixa japonesa); salmão barriga (R$ 29); salmão trufado (R$ 29); dyo com ovas de salmão (R$ 37); dyo de ovo de codorna trufado (R$ 30); atum com foie gras (R$ 37) e tarê (molho agridoce); polvo trufado (R$ 34) e lula trufada (R$ 34). O Sushi Aizu (R$ 88) serve 6 unidades e destaca a variedade dos peixes do dia.

Não gosta dos pratos frios? Legal, as opções quentes são de babar! As robatas, tradicionais espetinhos japoneses, têm inúmeras opções preparadas com estilos e temperos diferentes: aspargos com bacon (R$ 14); brócolis (R$ 12); minibatata (R$ 14) – com toque de manteiga trufada; queijo coalho com mel trufado (R$ 16); tulipa de frango (R$ 18); frango teriyaki (R$ 18); shiitake (R$ 18); salmão com vieiras (R$ 32) e shimeji com bacon (R$ 24). Além das entradinhas, entre os principais estão: peixe branco ao molho de missô (R$ 69); beef shogayaki (R$ 66) e tempurá de camarão (R$ 44 / dupla). Para acompanhar: Gohan (arroz) (R$ 9) e Missoshiro (R$ 12).

Foto de Lex Kozlik

Foto de Marcelo Krelling

Tá em dúvida do que pedir? Vá de Menu Degustação, com preço e sugestões de acordo com o paladar do cliente!

Resumo

É o melhor restaurante japonês da minha vida! E olha que eu já fui em MUITOS e Curitiba é uma cidade riquíssima em belas opções. Posso prometer aqui um post dos meus prediletos e com valores diferentes.

Voltando ao Aizu, encantou meu paladar pela qualidade, pela riqueza de sabores, pela apresentação dos pratos, pelo atendimento impecável – todos os garçons sabiam o que estavam servindo, isso é raro! Indico, recomendo e sei que o valor não é assim tão em conta, mas vale investir em uma data especial, por exemplo.

Aizu Restaurante

Onde fica: Rua Senador Xavier da Silva, 19 – São Francisco;
Mais informações: 41. 3043-0420 e 41. 3043-0421;
Horário de Atendimento: segunda, das 19h às 23h; de terça a sábado, das 11h30 às 14h e das 19h às 23h;
Site: AIZU