Na última sexta-feira (14), Curitiba recebeu o cantor e compositor Arlindo Cruz, no Vanilla Music Hall. Ele se apresentou para um público que ansiava por uma noite de muito samba, principalmente do samba dele, do Arlindo. O público o reverenciou quando entrou em cena, abrindo o show com nada menos que “Meu nome é Favela”, seguida de “O que é o amor”. Aí os casais se derreteram, e, como a casa não lotou, havia espaço para dançar a dois.

Arlindo gosta de conversar, de falar com as fãs, de elogiar a beleza das curitibanas. Ele perguntou: “Quem aí assiste o Esquenta?”, e emendou a música de abertura do programa, fazendo com que todos cantassem junto. Músicas do seu último trabalho intitulado “Herança Popular” se misturaram com sucessos de toda a carreira do cantor. O chamego de Arlindo com os fãs, o carinho dele embalado pelos sambas dançados miudinho, fizeram da noite um momento inesquecível para quem compareceu ao show. “A pureza da flor” fez o público fechar os olhos para acompanhar.

Ele cantou músicas de Tim Maia e do grupo Revelação e ainda chamou ao palco a cantora Thais Macedo, a mais nova descoberta feminina do samba. Arlindo agradeceu a presença de todos e até leu uma listinha com o nome de vários bairros e regiões metropolitanas de Curitiba, ao passo que pessoas gritavam quando citava o bairro em que moravam.

Para fechar com chave de ouro, ele encerrou o show com o grande sucesso “Meu lugar” e se despediu de Curitiba deixando só a lembrança da voz macia que abraça e embala o samba no pé. Ah, Arlindo, volte logo!