Drama de uma menina de Okinawa, que perde o pai no mar do Japão, o monólogo “Corrente Fria, Corrente Quente” faz parte da programação do Festival de Curitiba, na mostra Fringe. As apresentações acontecem na Casa Hoffmann, Largo da Ordem, no dia 28 de março (sábado) às 21h e no dia 29 (domingo) às 15h. Os ingressos custam R$10 e R$5 (meia-entrada).

Mar de ausências e esperas

O encontro das correntes oceânicas Oyashio (do tipo fria) e Kuroshio (quente) provoca uma abundância de peixes no Japão. Mas, na cabeça de Fernanda Fuchs, o encontro das águas gerou “Corrente Fria, Corrente Quente”. Na peça, uma jovem de Okinawa (província do sul do Japão) fala sobre o desaparecimento do pai, que saiu para pescar em alto-mar e nunca mais voltou. Sentado a poucos metros da atriz, o público acompanha o cotidiano da garota e o seu mergulho na elaboração da perda paterna.

Serviço – Corrente Fria, Corrente Quente – Festival de Curitiba

Quando: 28 de março (sábado) às 21h;  29 de março (domingo) às 15h

Onde: Casa Hoffmann (Rua Claudino dos Santos, 58, Largo da Ordem)

Quanto: R$10 e R$5 (meia-entrada)

Vendas: no local

Crédito: Ester Gehlen