Agora com o titulo de “Muppets 2 – Procurados e Amados”, o filme é continuação do sucesso de 2011 que trouxe os Muppets novamente à fama. As duas produções têm bases muito diferentes, enquanto a primeira contou com atores carismáticos como Jason Segel e Amy Adams nos papéis principais, o segundo tem como estrelas os comediantes Ricky Gervais, Tina Fey e Ty Burrell. O primeiro gastou 40 milhões de dólares e lucrou 170 milhões, já a sequência torrou 50 milhões e até agora não passou dos 80 milhões de dólares ganhos.  Os únicos pontos de destaque que ainda permanecem são os Muppets e o diretor, James Bobin.

O filme começa exatamente do lugar onde o primeiro parou há três anos e colocando a duvida em Kermit e seu grupo do que vão fazer agora depois de estarem reunidos mais uma vez. Surge então o empresário Dominic Badguy (Gervais) com a proposta de uma turnê mundial, os Muppets aceitam indo contra a vontade do sapo. O que eles não sabiam é que neste momento o criminoso mais procurado do mundo, Constantine acabava de fugir da prisão. E toda essa turnê era uma armadilha para o ladrão assumir o lugar de Kermit e usar seu grupo como fachada para um crime mundial. Assim o líder Kermit volta para a prisão sendo confundido com o bandido e lá encontra a guarda Nadya (Tina Fey), ao mesmo tempo em que um investigador da Interpool (Ty Burrell) observa todos estes crimes de perto.

A produção da Disney continua mantendo a tradição dos fantoches, colocando um musical em cada cena que isso seja possível. E se sai muito bem, as músicas são sempre escritas e elaboradas de uma forma agradável sem parecer forçado. Diferente do primeiro onde as canções tinham conotações mais tristes, agora o foco é mais na diversão e em cantorias engraçadas. Talvez o grande problema seja a falta de carisma dos atores para cantar, tem hora que parecem estar desconfortáveis com isto, mas nada que prejudique. O longa começa de uma forma genial, retratando exatamente como os projetos rolam nos estúdios. Satirizando estarem fazendo uma sequência, pois o outro filme rendeu e então eles vão fazer mais um. Toda a trama se desenrola bem em todos os pontos que deseja passar. A similaridade entre Constatine e Kermit é típica de filmes de ação, as piadas com o modo francês de agir são ótimas, além de que o filme novamente conta com grandiosas participações especiais.

Porém, o grande problema é que se trata de uma produção com a única intenção de fazer dinheiro. Mesmo sendo um bom filme para assistir e dar algumas risadas, os produtores não tiveram a intenção de caprichar na trama. Toda a história é muito previsível, assim como o desfecho. Os personagens de Gervais e Tina Fey não agradam em nenhum momento, não conseguindo nem ao menos ser divertidos. A atenção dada aos Muppets é mínima, o foco da maior parte é entre o relacionamento de Miss Piggy e Kermit. E o maior problema é que como o filme não rendeu nem a metade de seu antecessor, e talvez nem lucro dê, não vamos ver os Muppets nas telonas novamente por um bom tempo.

Adalberto Juliatto para o Curitiba Cultc