Estreando nesta quinta, 18, nos cinemas brasileiros mais uma obra midiática que aborda um assunto de extrema importância: o bullying. Após a grande repercussão gerada com ’13 Reasons Why’, somos agraciados com um filme que trata do assunto em meio à um drama adolescente e de fácil encaixe para todos que já passaram por essa fase. Antes que Eu Vá conta a história de Sam, uma garota popular no colégio e que vive uma vida “perfeita” até o dia em que acaba morrendo. Porém, ela tem a chance de reviver o dia da sua morte várias vezes até encontrar algum sentido para a sua vida.

Com a sinopse já podemos perceber que a trama é um tanto quanto conhecida do público, essa coisa de viver várias vezes o mesmo dia já surgiu em algumas ocasiões na sétima arte. Principalmente em 1993 com o lançamento do fabuloso ‘Feitiço do Tempo’ e tendo o brilhante Bill Murray como protagonista. Mas não, Antes que Eu Vá não é nem de perto como o filme dos anos 90 e não sabe abordar a situação de adolescentes como a série da Netflix. Valeu a intenção.

O filme é baseado no livro de mesmo nome escrito em 2010 pela americana Lauren Oliver. A adaptação cinematográfica tem a direção da novata Ry Russo-Young e foi lançado de forma independente lá fora. A personagem principal é interpretada pela carismática Zoey Deutch, cada vez mais presente no cinema americano. E o restante do elenco é inteiramente composto de adolescentes que alguma vez ou outra dão as caras em grandes produções. Entretanto, quem faz o que é o de menos aqui e o que realmente importa em Antes que Eu Vá é a mensagem que o longa tenta passar.

A passagem pela escola não é fácil, precisamos lidar com muitas situações delicadas e por muitas vezes passar por momentos difíceis. O bullying é certamente algo que todos já presenciamos (seja sofrendo, fazendo ou apenas deixando acontecer) e é o grande causador de traumas. Antes que Eu Vá nos apresenta alguns casos, só que muito superficialmente e não desenvolve corretamente as formas de agir contra isso.

Parece mais uma lição de que alguém sempre sairá perdendo, não que não seja totalmente verdade, mas o modo que é colocado aqui é mais para chocar do que orientar. A intenção é colocar a vida de Sam em jogo e mostrar caminhos para se acertar na própria vida, entretanto tudo é egoísta em atitudes pra lá de questionáveis. Antes que Eu Vá retrata jeitos que uma garota encontra pra se sentir melhor, independente do cenário em que a própria escolhe viver no dia. Nada ali é muito altruísta se analisado com cuidado.

Antes que Eu Vá contem muitas falhas, seja na mensagem final ou no caminho que percorre para tal. É um filme adolescente feito para adolescentes, contendo os temas que mais os interessam (bebida, sexo, amigos e etc.). Não dá pra negar que é um filme bem legal e que emociona, faz sua parte como uma obra desintencionada. Porém trata de assuntos pertinentes, e poderia ter aproveitado muito melhor tudo e conseguido um belo resultado com aprofundamento ético.

Nota: 6,0

Trailer – Antes que Eu Vá