No domingo (07), aconteceu mais uma edição do F. E desta vez, cerca de 20 mil mortos-vivos, “sobreviventes” e caçadores armados se juntaram a figuras da cultura pop (muitas em versão “desmorto”) para mostrar que o “apocalipse zumbi” já faz parte do Carnaval curitibano.

Em sua sétima edição, a marcha teve concentração na Boca Maldita por volta do meio-dia. Mais uma vez a marcha contou com trios elétricos e os organizadores, além da costumeira exposição das fantasias e maquiagens dos participantes, promoveram concurso do grito zumbi mais horrível, concurso de Miss Zombie Curitiba, e até um casamento zumbi.

“É uma alegria muito grande ver o crescimeto do evento, que a cada ano atrai mais gente, se tornando uma genuína manifestação do Caranaval da cidade”, avalia Flávia Nogueira, do Zombie Walk Curitiba, que organiza e realiza o evento. Pelo terceiro ano consecutivo, a Fundação Cultural de Curitiba foi apoiadora da marcha.

A caminhada iniciou pela Rua XV por volta das 1430h e fez sua primeira parada em frente ao Paço Municipal. Depois de cruzar a Praça 19 de Dezembro, o grupo seguiu pela Avenida Cândido de Abreu e se concentrou na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente ao Palácio do Governo. A festa teve ainda cinco bandas, entre elas a Rádio Cadáver e S.O.S Chaos.

Foto: Guilherme Horst