Um dos grandes sucessos dos anos 90, Jumanji acaba de receber uma “homenagem” com a chegada de Jumanji: Bem-Vindo à Selva. Trata-se de um spin-off (obra derivada da história original), servindo quase que de continuação. A clara intenção é aproveitar a fama do original e quem sabe emplacar franquia à geração atual; o resultado final não chega nem perto do primor/frescor do antigo, entretanto, é válido para passar o tempo.

O filme de 1995 contava com Robin Williams como protagonista e chamou muita atenção por mostrar um jogo que invocava vários perigos reais conforme os dados eram lançados. Mistura de fantasia com ação/suspense que combinados com a atuação brilhante de Williams fizeram Jumanji se tornar famoso até em tempos atuais.

Aproveitando disto, a Sony resolveu investir em um novo projeto que traz tudo isso aí aos tempos atuais. Sai tabuleiro, entra um jogo de videogame; onde quatro alunos se transportam ao mundo virtual no corpo de quatro protagonistas. Os atores escalados para viver o ambiente fantástico são Dwayne ‘The Rock’ Johnson, Kevin Hart, Jack Black e Karen Gillan.

Jumanji: Bem-Vindo à Selva tem direção de Jake Kasdan (‘Sex Tape’ e ‘Professora Sem Classe’) e roteiro feito a oito mãos. “Liderados” por Chris McKenna (‘Homem Aranha: De Volta ao Lar’), a mesa de roteiristas se debruçou na obra original escrita por Chris Van Allsburg para achar uma trama cabível aqui. Encontraram na floresta, onde Alan Parrish (Williams) ficou isolado por anos devido ao jogo, um local ideal para tal spin-off.

A verdade é que ninguém esperava uma continuação para Jumanji, muito menos desta forma que foi feita. Ou seja, só precisava ser no mínimo aceitável para significar “sucesso”; e é o que acontece. O que já era visível é que o longa se encaminharia para a comédia, devido aos nomes envolvidos no projeto. E acerta nesta escolha, assim como na formação do elenco; que se mostra bem entrosado. Temos em Jumanji: Bem-Vindo à Selva o típico filme cômico de aventura, cheio de clichês e desfechos óbvios. É um entretenimento agradável, que ocupa nossa mente de forma despretensiosa; mesmo pecando com o excesso de futilidades bobas.

Nota: 7,0

Trailer – Jumanji: Bem-Vindo à Selva