Não é fácil manter-se no topo, principalmente após vender 1.1 milhão de cópias na primeira semana de lançamento de um disco – feito que Born This Way atingiu em 2011. ARTPOP, sucessor de Born This Way, vendeu “apenas” metade disso em sua estreia, o que foi suficiente para a cantora ser taxada de flopada e sumir da mídia por um tempo. Mas não foram só as baixas vendas que transformaram a era ARTPOP na mais conturbada da carreira de Gaga. Após romper com seu empresário Troy Carter e brigar com sua gravadora, a cantora declarou que a súbita fama a traumatizou, sendo necessário recorrer a antidepressivos, e que muitas vezes se sentia apenas como uma máquina de fazer dinheiro, obrigada a sufocar sua criatividade. Gaga interrompeu sua já consolidada carreira pop e juntou-se a Tony Bennett para lançar Cheek to Cheek – vencedor do Grammy Best Traditional Pop Vocal Album em 2015.

Longe do pop, Gaga apresentou-se no Oscar por dois anos consecutivos – em 2015 com um tributo ao filme Noviça Rebelde e em 2016 com Til It Happens To You, que concorreu a categoria de Melhor Canção Original -, encarnou David Bowie no palco do Grammy um mês após seu falecimento e abriu o Super Bowl com o hino dos Estados Unidos. Foram três anos de expectativa para seu álbum novo.

JOANNE

Há pouco mais de um mês, Gaga revelou o título e capa de seu novo trabalho: Joanne – título que não soou estranho para os fãs de longa data da artista. Além de ser o segundo nome de Gaga (Stefani Joanne Angelina Germanotta), Joanne é também o nome de sua falecida tia que morreu aos 19 anos após uma batalha contra o lúpus. Em entrevistas, Gaga já revelou ter uma conexão espiritual com Joanne, quase como se a cantora fosse a reencarnação de sua falecida tia.

28ba58ec32da9afbffa3597a3e25aae6_medium

Capa de “Joanne”.

Apenas com o título já foi possível prever o disco como algo pessoal e familiar, e Perfect Illusion apenas confirmou o esperado. O primeiro single do álbum trouxe uma nova Lady Gaga: a Mãe Monstro, que antes se vestia de carne e escondia sua voz em sintetizadores pop, agora usa shorts jeans, camiseta preta básica e a voz crua. Lady Gaga agora é rock.

Iniciando a divulgação de Joanne, Gaga uniu-se a Bud Light (uma das cervejas do grupo Budweiser) e deu início a Dive Bar Tour – uma série de pocket shows em pequenos bares dos Estados Unidos, apresentando algumas músicas de seu novo trabalho. Com uma roupa estilo cowgirl, Gaga cantou Sinner’s Prayer, A-Yo, Million Reasons e a já conhecida Perfect Illusion. Lady Gaga agora é country.

https://www.youtube.com/watch?v=Hb6MdbZ6hn0

A soma do rock de Perfect Illusion e country das canções da Dive Bar Tour sintetizam bem o álbum. Diamond Heart abre Joanne com esse perfeito equilíbrio. A-YO e John Wayne, com a mesma construção country/rock, se assemelham respectivamente a MANiCURE e Mary Jane Holland, de ARTPOP, e são boas apostas de próximos singles. Em Dancin’ In Circles, Gaga experimenta o ritmo latino, como em Alejandro, mas sem as amarras do pop, com um suingue diferente de todas as músicas do álbum. JoanneMillion Reasons e Angel Down são as baladas românticas do álbum, e fica fácil imaginar que Gaga performe estas canções em sua próxima tour ao piano, como fazia com Yoü and I, Hair e Speechless. Sinner’s Prayer, que parece ter saído de um filme de faroeste (western), é a musica mais puramente country do álbum, criando um perfeito contraponto com Perfect Illusion, que sustenta o rock. A única participação especial do álbum é a de Florence Welch em Hey Girl, uma canção que pode ser encarada como de empoderamento feminino e parceria entre mulheres.

Com todas essas opções, não dá pra entender a decisão de gravadora em lançar Perfect Illusion (canção tão distante da proposta do álbum quanto Come To Mama, esta ao menos empolgante) como primeiro single de Joanne. O refrão repetitivo pode, a princípio, parece a melhor opção para as rádios, mas os charts mostraram que não – principalmente por não passar uma imagem clara sobre o álbum.

É difícil prever como será a recepção do álbum. Temos uma artista originalmente pop se aventurando por outros estilos, mas, mesmo sem músicas “pop farofa”, outros álbuns tão conceituais quanto Joanne, como Lemonade (Beyoncé) e ANTI (Rihanna), tiveram uma boa aceitação do público. Sucesso ou fracasso de vendas, Joanne é uma prova do amadurecimento da artista. Amém, Lady Gaga.

14702434_1751078765146291_3817347501582358841_n

Joanne chega às lojas de todo o Brasil na próxima sexta-feira (21). E lembrando que dia 1º de Novembro teremos no Soviet a festa do lançamento oficial do álbum em Curitiba. Então, corra e confirme sua presença aqui 😉