A cena hip hop e skatista de Curitiba e Região Metropolitana está animada com os dois espetáculos que representam esse universo e que fazem parte da Mostra do 24º Festival de Teatro de Curitiba.

Dias de Luta, Dias de Glória – Charlie Brown Jr., o Musical” conta a história desse grupo e, em especial, de seu vocalista Chorão, que morreu em 2013. Em “Nêgo (eu.ele.nós.tudo preto!)”, os bailarinos da Companhia Urbana de Dança contam, através da dança, o drama dos jovens negros, parcela da população brasileira atingida com mais frequência e gravidade pela morte, pela violência e pela discriminação.

O integrante do grupo Raiz 83, Hallan Depetriz, ou Sasquatch, como é conhecido no meio hip hop local, lembra que a importância de Chorão ultrapassa a mera casca de celebridade. “Temos uma nova geração de skatistas e rueiros que estão surgindo a cada dia e todos merecem ouvir Charlie Brown Jr., diz. “Cada letra escrita dele tem todo um sentimento e um pé no verdadeiro. É hoje uma obra indispensável na cultura nacional”, afirma.

A importância da realidade mostrada por “Nêgo” chama a atenção de Edgar Barreto, fundador da CenaUnderground, de Colombo, um dos nomes mais lembrados da região de Curitiba quando o assunto a cultura hip hop. “O hip hop ainda é criminalizado. Fica difícil conseguir patrocínios. Espetáculos como esse, num evento como o Festival de Teatro de Curitiba, validam a cultura da periferia e chamam a atenção do público para essas situações”, diz.

Sinopse – “Dias de Luta, Dias de Glória – Charlie Brown Jr., o Musical” 

Quando nossa vida está prestes acabar, é como se um filme passasse na nossa cabeça. Como se tudo o que vivemos surgisse do nada para nos atormentar. Alexandre Magno Abrão, mais conhecido como Chorão, encontra-se perdido antes de ter uma overdose em seu apartamento em Pinheiros. Num frenético flashback, revisita sua trajetória, desde a sua ida a Santos até o inicio da carreira de sucesso. No palco, 25 atores e 10 músicos dividirão espaço com uma pista de skate.

Sinopse – “Nêgo (eu.ele.nós.tudo preto!)”

No Brasil, quem mais morre – e se morre muito, violentamente – são os jovens negros. A morte tem uma cor predominante neste país. Tudo preto. É certo: os dançarinos da Companhia Urbana de Dança hoje são ponto fora da curva dessa estatística dolorosa, no entanto, não deixaram de ser o que são nesse processo que os tirou da frente da linha de tiro. Ser negro, jovem, pobre e dançar com talento e ousadia tem a ver com resiliência. No espetáculo, corporeidades distintas dialogam, encontram-se, colidem em corpos que falam da violência e da possibilidade de uma nova escrita com histórias construídas fora das ruas estreitas da cidade.

Serviço – Festival de Teatro de Curitiba

Peça: Dias de Luta, Dias de Glória – Charlie Brown Jr., o Musical

Quando: 01 e 02 de abril

Onde: Teatro Positivo (Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300)

Peça: Nêgo (eu.ele.nós.tudo preto!)

Quando: 28 e 29 de março

Onde: Teatro Guaíra (Rua Conselheiro Laurindo, s/n)

Vendas: Disk Ingressos