A Fundação Cultural de Curitiba lança nesta quinta-feira (12), em evento às 18h, no Palacete Wolf, a Revista das Oficinas de Análise e Criação Literária. A publicação reúne 32 textos produzidos pelos participantes das dez oficinas que ocorreram no período de agosto de 2013 a junho de 2014. Além da distribuição gratuita de exemplares, o lançamento da revista contará com leituras públicas dos textos e com a presença dos autores e ministrantes das oficinas.

Os trabalhos foram selecionados por uma comissão especializada, composta por escritores e pesquisadores de literatura. A publicação contempla textos produzidos nas oficinas voltadas ao público infantojuvenil (com a participação de crianças e jovens de 9 a 16 anos), ao público adulto e as oficinas que propuseram processos de criação relacionando a literatura com as demais linguagens artísticas, como a canção popular.

As Oficinas de Análise e Criação Literária fazem parte do programa Curitiba Lê e são promovidas desde 2006. Os cursos possibilitam aos participantes o exercício da criação de textos literários, a partir da leitura e da análise de obras de autores nacionais e estrangeiros. Os orientadores são escritores residentes em Curitiba, selecionados por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura.

De acordo com a coordenadora de Literatura da Fundação Cultural de Curitiba, Mariane Torres, essas ações, como parte do programa Curitiba Lê, contribuem para a formação de novos escritores. “Esta publicação é tanto incentivo quanto reconhecimento aos participantes, sejam eles escritores iniciantes ou experientes”, diz.

Lélia Ferreira, autora dos textos “Sapatos Vermelhos” e “Segredo de Menina”, participou de várias oficinas – primeiro com os professores Amarildo Anzolin, depois com Mônica Berger e nos últimos três semestres com o professor Paulo Sandrini. “Sempre gostei de escrever, mas nunca tinha tido oportunidade de me dedicar à literatura de forma mais constante e organizada. Ao saber das oficinas, me inscrevi e foi uma surpresa muito agradável”, conta Lélia. Ex-professora universitária, ela diz que as oficinas proporcionam uma experiência gratificante. “Os textos são escritos ali e compartilhados por todos, com observações críticas do professor e dos colegas. Nesse momento ocorrem grandes descobertas”, revela.

Para Lélia, o melhor resultado é quando o trabalho é publicado, como aconteceu nesta revista. Ela lembra que vários colegas, além de serem escolhidos para integrar a publicação, também foram premiados em concursos e já publicaram seus textos em outros meios. “São pessoas de todas as idades, profissões e pensamentos literários, que se juntaram e agora continuam se encontrando, trocando ideias, mesmo fora das oficinas. Acredito que essas pessoas são as sementes de um novo olhar sobre a literatura no Paraná”, diz.

Fundação Cultural de Curitiba lança revista das oficinas de criação literária‏ – Serviço

Quando: 12 de março (quinta-feira)

Horário: 18h

Onde: Palacete Wolf (Praça Garibaldi, 7 – Setor Histórico)

Quanto: gratuito