Todas as terças-feiras os apreciadores de comida de boteco e chope gelado têm mais uma opção para sair de casa, o Terça no Folha. O projeto que o Folha Seca lança no dia 17 completa a programação semanal do bar com música de qualidade e incentiva a renovação da cena cultural da cidade, abrindo espaço para os músicos locais se apresentarem.

As bandas interessadas passarão por um processo de curadoria, que selecionará as que vão se apresentar. Serão estilos musicais variados, desde que acústicos, formato tradicional das apresentações no Folha Seca. “Temos muitas bandas talentosas e queremos usar o nosso espaço para incentivar os bons trabalhos”, explica Carlinhos Neves, proprietário do bar, que já adianta que haverá edições especiais com atrações nacionais.

Folha Seca. Credito. Bruno Tadashi

Sobre o Folha Seca

Com doze anos de história, o Folha Seca é conhecido pelo amplo cardápio de petiscos, com mais de 50 opções, cerveja e chope gelados. Aos sábados, a feijoada ao som de um grupo de samba e brigadeiro no tacho já é tradição na cidade.

O bar é uma homenagem ao futebol, pois o seu proprietário, Carlinhos Neves, é também preparador físico do esporte. O nome do bar é inspirado no chute “Folha Seca”, do jogador Didi. As paredes do local são decoradas com fotos de momentos importantes da carreira de Neves, além de imagens de jogadores, técnicos e artistas que já visitaram o bar.

Equipe Folha Seca. Fotos Jackqueline Romão (1)


Da esquerda para direita:  Hebert Silva, André Bezerra, André Neves, Carlinhos Neves e Vitor Bortoloni

Zeca Baleiro é atração confirmada

“Sempre fui um implacável consumidor de doces, balas e toda sorte de guloseimas. Quando ingressei na Universidade, entre uma aula e outra, saboreava minhas balas. Como já era sabido que eu sempre tinha (balas, hein, gente… é bom que se diga!), quando alguém desejava comer uma, vinha a mim. Daí para começarem a me chamar de Baleiro foi um passo. Confesso que, a princípio, aquilo não soava bem aos meus ouvidos”. Assim o cantor maranhense Zeca Baleiro conta como foi que chegou a ser conhecido assim.

Dono de vários álbuns, sendo que o primeiro foi lançado em 1997, Zeca acumula em sua carreira prêmios musicais, livros, DVDs e parcerias com nomes como Zé Ramalho e Arnaldo Antunes. A título de curiosidade, ele musicou versos de e.e. cummings — tradução de Augusto de Campos — e Emily Dickinson, dois grandes exemplos da poesia mundial.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

NOVEMBRO – 23 A 28

Terça –  Blues, Pop e Rock (acústico)

Take Two – 19h30 às 23h

R$ 8.

Quarta – MPB, Pop Rock (acústico)

Betinho Alencar – 19h30 às 23h

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.

 

Quinta – MPB, Pop Rock (acústico)

Beto Preto – 19h30 às 23h.

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.

 

Sexta – Pop Rock Nacional e Internacional (acústico)

Duo Maria Loka – 19h30 às 23h

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.

 

Sábado – Samba

Prestatenção – 13h30 às 17h

Entrada livre.

 

Sábado – Pop Rock Nacional e Internacional (acústico)

Enok Demark – 19h30 às 23h

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.

————————

DEZEMBRO 1 A 5

Terça –  Aniversário 13 anos do Folha Seca Bar – show nacional

Zeca Baleiro e roda de samba – 19h30 às 23h

Quarta – MPB, Pop Rock (acústico)

Betinho Alencar – 19h30 às 23h

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.

 

Quinta – MPB, Pop Rock (acústico)

Beto Preto – 19h30 às 23h.

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.

 

Sexta – Pop Rock Nacional e Internacional (acústico)

Duo Maria Loka – 19h30 às 23h

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.

 

Sábado – Samba

Quarteto de Prima- 13h30 às 17h

Entrada livre.

 

Sábado – Pop Rock Nacional e Internacional (acústico)

Enok Demark – 19h30 às 23h

Até 20h, entrada livre. Após, R$ 8.