Após nove dias de festival, o encerramento do 6º Olhar de Cinema ficou por conta do filme Baronesa, de Juliana Antunes. Se o festival abriu essa edição com A Família (Gustavo Rondón) – que narra a trajetória de pai e filho que vivem em situação de vulnerabilidade – um paralelo perfeito para o encerramento é Baronesa.

O longa, que levou no início do ano o Troféu Barroco da 20ª Mostra de Cinema de Tiradentes, apresenta a realidade da periferia de uma grande metrópole brasileira a partir da perspectiva feminina, e explora os medos, ambições e perspectivas de vida de mulheres fortes que estão à mercê da violência de sua comunidade.