A 26ª edição do Festival de Curitiba está chegando! Para você se preparar para o evento, que começa no dia 28 de março, o Curitiba Cult, junto com o Festival, vai trazer para você as notícias mais frescas. Vem com a gente porque faltam 05 dias!

Mart’nália faz releitura de artistas fundamentais para sua formação na Mostra

Em interconexão com a proposta da curadoria do Festival de Curitiba, a cantora Mart’nália faz ecoar o atual reconhecimento da arte negra, levando para o palco a substância de diversas marcas sociais, como raça, classe, gênero e identidade. Em única apresentação no Festival de Curitiba, o show “+Misturado” acontece no dia 09 de abril, às 19h, no Teatro Guaíra.Vinda de um projeto no qual o samba reinava absoluto, Mart’nália retorna com um novo álbum, em mais uma parceria com a gravadora Biscoito Fino.  Décimo primeiro de sua discografia, “+ Misturado” aposta na personalidade artística plural da cantora, com releituras de compositores fundamentais em sua formação.

Quando Se Calam os Anjos faz parte do Movva, segmento de dança da Mostra

A Curitiba Companhia de dança apresenta o espetáculo “Quando se Calam dos Anjos” no Festival de Curitiba 2017. Com coreografia de Airton Rodrigues, ex-bailarino e coreógrafo do Balé Teatro Guaíra, a montagem tem apresentações dias 8 e 9 no Teatro da Reitoria. A proposta é transportar para o palco questões cênicas e dramatúrgicas que realçam um universo pós-moderno virtual no qual vários encontros são marcados pelo descaso do outro ou até mesmo pela falência do ser humano. Com recursos de jogo de luzes para dar o clima da peça, a diretora artística Nicole Vanoni diz que “a obra partiu da indignação com a indiferença frente à violência impregnada na sociedade e o sentimento de impotência que nos tira a responsabilidade por este estado das coisas. A arte não pode observar esta questão e ficar calada”. A montagem é parte do MOVVA, mostra de dança que faz sua estreia no Festival de Curitiba em 2017, com patrocínio de O Boticário. Integram o MOVVA também, os espetáculos “Protocolo Elefante”, “Transobjeto”, “Para Que O Céu Não Caia”, Olympia e O Que Podemos Dizer do Pierre”.

Farinha Com Açúcar mostra a violência sofrida pelos jovens negros da periferia

“Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens” é a materialidade cênica e poética que o dramaturgo, ator e diretor Jé Oliveira (Coletivo Negro) escolheu para formalizar sua investigação sobre a construção da masculinidade negra periférica. O espetáculo estreia em Curitiba nos dias 8 e 9 de abril, no Sesc da Esquina, no 26.º Festival de Curitiba. Jé Oliveira, que idealizou a peça, também atua, dirige e é acompanhado por cinco músicos que apoiam a narrativa baseada em entrevistas com 12 homens negros da periferia paulista durante um ano. “Esse espetáculo é uma intenção sobre a vida, é uma afirmação da existência mesmo sob os escombros. Os encontros que tive com cada entrevistado foram de vida que pulsa e espero ter traduzido um pouco disso na encenação e trajetória da obra”, explica Oliveira. Paisagens sonoras e imagéticas se materializam por meio do ato de contar, expor, refletir e dialetizar a experiência de ser negro na urbanidade.

INTERLOCUÇÕES: artista da Mostra dá oficina grátis

Dentro da programação do Interlocuções o artista Wagner Schwartz dará uma oficina grátis no Sesc Paço da Liberdade, nos dias 7, 8 e 9 de abril, a partir do material do seu espetáculo “Transobjeto”, integrante da Mostra do Festival de Curitiba. As inscrições para as oficinas devem ser feitas pelo e-mail [email protected]. Na “Transoficina: If you hold a stone” (trans, como em “trânsito”), cada movimento e cada gesto dos artistas que fizeram parte do imaginário de Transobjeto será discutido com amor e humor, tema que abre o Primeiro caderno do aluno de poesia Oswald de Andrade. O “Interlocuções” é um recorte da Mostra do Festival de Curitiba com encontros, palestras, debates e oficinas gratuitas. A programação vai de 30 de março a 9 de abril.

Alice, Uma Quase Ópera Punk-Rock Contemporânea

Coelho Branco, Rainha de Copas, Chapeleiro Maluco, Lebre de Março são os personagens do famoso romance de Lewis Carrol “Alice no País das Maravilhas”, que chegam no Fringe do 26.º Festival de Curitiba. “Alice, Uma Quase Ópera Punk-Rock Contemporânea” é um espetáculo feito por jovens para jovens. São vinte e cinco atores da “Cia Poéticas da Cena Contemporânea” (ES), em uma linguagem ousada e híbrida, que lança mão de projeções, multiplicação de personagens e performatividade, além de uma trilha sonora marcante. São muitas as questões que “Alice” suscita na formação de um jovem. Entre elas, a perspectiva de encontrar um lugar em um mundo que, muitas vezes, nos parece inóspito. A protagonista é uma garota que enfrenta esta questão com coragem e determinação, não se acanhando frente à estranheza de seus personagens e gratuidade de certas relações sociais. 01/4 às 19h e 02/04 as 10h. Teatro Cleon Jacques.

Mostras especiais do Fringe: FITU

O Fringe, mostra sem curadoria do Festival de Curitiba e, portanto, com participação livre, tem este ano 11 mostras especiais, organizadas pelos próprios participantes. Uma delas comemora os 10 anos do grupo In-Cena de Teatro. A mostra “Minas São Várias, Mucuri em Cena” traz o trabalho da primeira companhia profissional do Vale do Mucuri/MG. O grupo conquistou destaque ao longo de uma década como formador de jovens no universo artístico e realizador do FESTTO (Festival Internacional de Teatro de Teófilo Otoni/MG).

II Curitiba Mostra: Curitiba Urge

Em 2017, a Curitiba Mostra chega a sua segunda edição no Festival de Curitiba e reúne trabalhos autorais de artistas da cidade através de criações compartilhadas em cinco espetáculos inéditos.Na programação está o Curitiba Urge, que vai de 1 a 9 de abril, sempre às 19h. Afim de abrir mais espaço para que artistas da cidade possam mostrar seus trabalhos, foi criado o Curitiba Urge, buscando ampliar vozes e reflexões sobre o momento que vivemos. Aberto a manifestações heterogêneas de shows musicais, manifestos, performances, leituras, pequenas cenas e outras ações artísticas a serem apresentadas na área externa do Teatro José Maria Santos. A programação já conta com a exibição de “Pássaros Ruins”, vídeos de poetas de Curitiba. As inscrições das propostas estão livres aos interessados. Participe do Curitiba Urge. Inscreva seu trabalho pelo e-mail: [email protected]. Atenção, o local de realização da II Curitiba Mostra é o Teatro José Maria Santos, R. Treze de Maio, 655 – São Francisco.

MishMash: Palhaço argentino constrói polvo gigante com ajuda do público

Interpretado pelo comediante argentino Victor Tomate Avalos, o Palhaço Tomate será uma das atrações do MishMash 2017, mostra do Festival de Curitiba que vai acontecer nos dias 08 e 09 de abril no ParkCultural do ParkShoppingBarigüi. Internacionalmente conhecido pela sua arte com balões, O Palhaço Tomate promete, por meio de linguagem simples e interação como público, construir um polvo gigante. O MishMash é a mostra de variedades do Festival de Curitiba, com atrações circenses, musicais, de teatro e muito mais, diversidade que a torna interessante para toda a família.

3 espetáculos esgotados; 3 espetáculos esgotando

Os ingressos para Os Vilões de Shakespeare, com Marcelo Serrado, nos dias 1º e 2 de abril acabaram. As das primeiras sessões dos dias 31 de março e 1º de abril do Risorama também (já foram abertas sessões extras). Neste momento, outros espetáculos estão quase lotados: a noite de 29 de março do Risorama com Rafael Portugal, do Porta dos Fundos, a apresentação de Blank, com Du Moscovis, no dia 31 de março, as apresentações de Macumba: Uma Gira Sobre Poder (3, 4 e 5 de abril).

A programação completa do Festival de Curitiba e informações das vendas de ingressos você pode conferir aqui.

Foto: Marta Azevedo