O coletivo paulistano Sonido Trópico desembarca pela primeira vez em Curitiba neste sábado (08/04) para apresentar as novas tendências da música eletrônica latino-americana. A capital paranaense foi escolhida para receber uma das principais festas alternativas de São Paulo, que, em dois anos, já realizou mais de 40 edições apresentando djs nacionais e internacionais, em locações sempre inusitadas, como prédios ocupados e antigos cinemas.

A mistura de influências latino-americanas da Sonido propõe o fortalecimento da identidade latino-americana por meio da música. “O Brasil sempre esteve culturalmente separado dos outros países latinos e os novos movimentos musicais têm contribuído nessa aproximação. Faz parte da nossa essência quebrar as barreiras físicas e culturais e mostrar que o Brasil e a América-Latina são inseparáveis e só têm a crescer com essa troca. Somos todos hermanos.”, conta Rodrigo Fonseca (Nirso), um dos djs residentes do coletivo.

Em Curitiba, o Sonido Trópico estará representado pelos djs El Peche e o já citado Nirso, que dividirão as pick-ups com Lazy Samambaia e os anfitriões da noite Gerra G, PRADO e Agrabah, do coletivo Gatopardø. “Acreditamos que essa festa celebra o encontro de pessoas que têm se preocupado em fortalecer uma identidade nacional e latina para a música eletrônica. Para quem já acompanha o trabalho ou quer conhecer é uma ótima oportunidade de curtir um som que celebra a riquíssima diversidade cultural do nosso continente”, comenta Agatha Prado, a dj. Agrabah do Gatopardø.

O evento será realizado na Casa Roxa, das 23h às 7h, e o público pode esperar uma noite de muita Cumbia Digital, Eletro-Côco, Rasterinha, Andean Beats, Carimbó eletrônico e mais misturas musicais inusitadas. “Sabemos que a cidade já tem uma cena de música eletrônica forte e que o público está mais aberto para ouvir novas sonoridades”, afirma Nirso. A festa também contará com projeções do Coletivo 56, performances de Txusa Potz (Espanha), Valery Michelli (Venezuela), Natali Heinrich (Argentina), e exposições do projeto Step Motion, da artista SóLuá, e Mundo Imaginário, do artista Victor Chico.

foto: i hate flase