Com tantos lugares para se passear de bicicleta na nossa cidade e com os investimentos que a Prefeitura de Curitiba dedica para ciclovias, a alegria dos amantes do pedal só aumenta. Entrevistamos um apaixonado por bikes que transformou sua vida em uma eterna aventura sobre duas rodas e um guidão. Autor do livro “Trilhando Sonhos”, Thiago Fantinatti rodou de bicicleta por 365 dias o continente sul-americano, e desse projeto saiu o livro sobre suas experiências e sonhos nessa jornada. Por mais que tenha desbravado outras tantas estradas, sua casa é aqui na capital e a rotina do pedal é pelas ruas curitibanas.

Pedimos que ele desse algumas dicas para quem curte pedalar eventualmente ou para os ciclistas que pedalam diariamente por aí:

1 – Nada de pedalar na canaleta, além de ser contra a lei, é perigoso.

2 – Cuidado com as calçadas compartilhadas! Atenção aos postes e pedestres.

3 – Evite vias rápidas com limite de velocidade superior a 50 km/h; ao pedalar ali, o ciclista assume um risco, principalmente por conta dos motoristas distraídos.

4 – Item de segurança fundamental: RETROVISOR! Não se esqueça também das luzes de sinalização e do capacete.

Ciclismo

5 – Fone de ouvido? Desapega disso! “O ouvido é o ‘radar’ natural do ciclista”, conta Fantinatti.

6 – Andar próximo ao meio fio também pode ser perigoso, pois uma queda ou até mesmo uma “fina” de um carro pode acabar jogando o ciclista em um poste, por exemplo. Se você vir pelo retrovisor que vem um motorista meio louco, suba na calçada para garantir sua segurança.

Perguntamos também sobre clima, pois essa Curitiba é a cidade das quatro estações no mesmo dia…

“Eu sempre levo um alforje na bike, com uma capa de chuva, calça impermeável, meias e um par de tênis extra. Para pedalar na chuva opto por usar tênis ou sapato de couro”.

“Caso você não tenha alforje, pode usar uma pequena mochila para levar essas coisas. Ter para-lamas também ajuda a chegar seco e limpo ao trabalho. Para mim é um prazer quando chove. Vou devagar e sempre admirando o caos de todos os carros parados”, conta ele.

Curitiba-318-anos-Bosque-do-AlemãoBosque do Alemão

Pedimos dicas de passeios pela capital, pois ficar dando volta somente no Barigui cansa. “Aos domingos parte do Centro Cívico fecha para os carros. É um passeio leve e muito bacana”. Bosque do Alemão, Passaúna e Parque Tingui são caminhos que Fantinatti também sugere, além de uma volta no Centro Histórico e a boa e velha Estrada da Graciosa. “Um passeio que faço sempre, inclusive com a minha filha de três anos na cadeirinha, é sair do Passeio Público e seguir pela ciclovia até o Centro Cívico e depois até o Parque São Lourenço. Ela adora”.

Se você também compartilha da paixão por bikes, conta pra gente quais os passeios mais curte fazer desbravando essa cidade que tanto amamos <3

Foto-destaque: Arquivo pessoal