No embalo do dia dos namorados, nada melhor do que uma comédia romântica estreando nos cinemas. Sob o Mesmo Céu entra nesse embalo e chega ao Brasil nesta quinta (11), é o novo filme do diretor Cameron Crowe e contando com um elenco estelar protagonizado por Bradley Cooper, Emma Stone e Rachel McAdams.

Acompanhamos a volta do militar Brian (Cooper) ao Havaí, local onde cresceu e namorou Tracy (McAdams). Agora ela está casada e com dois filhos, enquanto ele começa a se envolver com a piloto Alisson (Stone) e os dilemas do passado.

Cameron Crowe é conhecido internacionalmente pelos trabalhos como diretor e roteirista em “Jerry Maguire” e “Quase Famosos”, nesse último levando o Oscar de melhor roteiro original.  Porém, a temática dos filmes dele são sempre as mesmas: conflitos pessoais e relações humanas. Não que seja algo ruim, mas quando não é bem executado causa a sensação de repetição. E Crowe já parece estar perdendo o fôlego, que começou excelente com os dois filmes citados e já mostrou fraqueza em “Compramos um Zoológico” de 2011 e agora com Sob o Mesmo Céu. O diretor costuma ficar anos parado trabalhando no novo filme, nada mais comum do que criar certa expectativa pelo que virá. E é ai que mora o problema de Aloha (título original), esperar muito por um filme que não passa de um simples entretenimento. É um longa que almeja muito e conclui pouco, são variados personagens interessantes com boas relações ligadas, entretanto nada disso é explorado e tudo acaba do modo que você já esperava quando começou.

Se o ar de protagonista foi colocado em Bradley Cooper, é hora de repensar. O ator vai muito mal, parece desconfortável em cena e em demasia forçado em vários momentos. Mantém uma cara de bobo do começo ao fim e pouco lembra aquele que conquistou Hollywood, totalmente sem vontade. Então entra a estrela de Emma Stone, a garota vem se consolidando cada vez mais e deixando para trás os papéis em filmes adolescentes para criar bons personagens complexos (algo visto em “Birdman”). É ela quem dita o ritmo do filme e consegue controlar muito bem todos os gêneros, desde o drama até comédia e passando obviamente pelo romance. Um carisma incrível essa Emma Stone, conseguindo encantar o espectador e sendo o grande destaque. Rachel McAdams segue no piloto automático, aquela mocinha que faz tudo certo e agrada todo mundo com o jeito carismático de ser, comum dela em filmes assim.

O maior erro da trama é manter tudo no raso. Não temos muitas informações sobre os personagens, nem antes e nem durante, de uma forma que fica complicado querer criar alguma relação direta. Toda a história é passada em momentos corridos e mal aprofundados, as complicações vão surgindo na tela e cabe exclusivamente ao público definir do que se trata. Se ao mesmo tempo um filme mastigado e que fala passo-a-passo do que está acontecendo é chato, aqueles que nem se dão ao trabalho de tentar informar são chatos da mesma forma. O elenco conta com Bill Murray e Alec Baldwin, dois excelentes atores de comédia, em papéis que deveriam ser importantes e que na prática fazem pouca diferença.  Faltou vontade para criar um bom filme, no final se tornou mais uma comédia romântica em meio de várias.

Ponto fraco

Parece ser um filme feito só para fazer, sem nenhuma pretensão. E é assim que deve ser assistido, como outro qualquer. A má vontade de querer indagar o público e criar boas tramas é visível, não existe discussão. Quando o filme começa e somos apresentados aos personagens, tudo já fica bem óbvio na cabeça de todos. Se tornando apenas uma prolongação até acabar da forma como já sabemos que irá acontecer.

Ponto forte

Os nomes envolvidos. Querendo ou não, um filme que conta com Crowe na direção e atores tão renomado no elenco é no mínimo plausível de dar um crédito. Apesar de não ser grandes coisas, é uma comédia romântica decente e que pode animar um final de tarde sem muita dificuldade.

Nota: 5,0

Trailer – Sob o Mesmo Céu (Aloha)