Três anos depois do lançamento de Quero Matar Meu Chefe, chega aos cinemas nesta quinta-feira (04) a sequência intitulada obviamente como Quero Matar Meu Chefe 2. Mas se a temática combinava lá no filme de 2011, aqui pouco funciona e acaba por passar uma imagem de continuação desnecessária.

Diferente história do antecessor onde os três amigos Nick, Dale e Hurt planejavam de executar seus terríveis chefes, aqui os três voltam tentando dar um golpe pra cima de um grande empresário que passou a perna neles. Os atores principais reprisam os papéis. Jason Bateman (Nick), Charlie Day (Dale) e Jason Sudeikis (Kurt). Jennifer Aniston, Jamie Foxx e Kevin Spacey também reaparecem. As novidades são as entradas de Chris Pine e Christoph Waltz. A direção também mudou de Seth Gordon para o novo queridinho das comédias americanas, Sean Anders.

Se o grande trunfo do primeiro filme era a trama diferente, com uma proposta “inovadora” no gênero de comédias. Aqui isto simplesmente já era, não tem nada de novo e simplesmente um monte de tentativas fracas para gerar risos. A história não convence nenhum pouco e se mostra cada vez mais perdida ao passar do filme. Existe um acúmulo de personagens e arcos dentro da mesma história que transformam tudo em uma confusão que chega a cansar o espectador.

É impossível assistir tal continuação e não ligar com o primeiro, porém tal ligação é totalmente prejudicial em Quero Matar Meu Chefe 2. Fica difícil entender a razão desta sequência em termos de necessidade, deixando o financeiro de lado. Os três personagens principais parecem mais forçados do que antes, exagerando no estilo idiota de ser. Assim como o excesso de piadas forçadas e cenas clichês de comédias que acabam por transformam o filme em algo repetitivo, deixando uma sensação de que você já viu aquilo antes.

Ponto forte

Independente do resultado final, Quero Matar Meu Chefe 2 conta com um elenco excelente. Os três principais são renomados atores de comédia, os coadjuvantes dispensam apresentação. Chris Pine está ótimo como um filho mimado e beirando a loucura e Waltz, mesmo que comedido, se sai muito bem.

Ponto fraco

O filme não se encaixa. Parece que nada faz sentido, e todas as tentativas de humor saem forçadas. Não faz você gargalhar e se divertir, simplesmente rir em algumas cenas aleatórias. O grande elenco acaba apagado por tamanha compilação de bobeiras e humor batido/barato.

Nota: 4,0

Trailer – Quero Matar Meu Chefe 2 (Horrible Bosses 2)