Jogos Vorazes: A Esperança – parte 1 (Hunger Games: Mockingjay – Part 1) estreou do jeito que todos esperavam: com Katniss (Jennifer Lawrence) maravilhosa no papel do Tordo, símbolo de todos os rebeldes de Panem.

Quem assistiu Em Chamas já queria emendar Esperança em seguida, mas a espera foi longa e valeu a pena. Com pouco mais de duas horas, a primeira parte de Esperança conseguiu passar o que os livros de Suzanne Collins nos transmitem: revolta, sentimento de injustiça e um ódio sem fim pela Capital e seu Presidente Snow (Donald Sutherland).

Pudemos finalmente conhecer o Distrito 13 e toda a sua ordem, vestimenta, costumes e regras; também ficamos cara a cara com a severa Alma Coin (Julianne Moore), que interpretou brilhantemente a líder rígida do 13. O fato é que filmes originados de livros nunca irão nos satisfazer por completo, pois há sempre a comparação deles com os filmes e a mesma indagação: “Mas porque não colocaram aquela parte no filme?”. Pois é, não tem mesmo e com Esperança não é diferente. Muitas coisas que são fantásticas no livro, não estão no filme. Felizmente são detalhes que não fizeram grande diferença. O Distrito 13, no entanto, poderia ter sido mais explorado.

Peeta Mellark (Josh Hutcherson) aparece pouco, mas com atuação surpreendente em cada cena. Outros personagens marcantes dos filmes anteriores como Haymitch (Woody Harrelson) e Effie (Elizabeth Banks) também tiveram a participação reduzida, mas em momentos importantíssimos da trama.

O melhor de Esperança é que conforme vai passando o tempo, surge um medo de que acabe a qualquer momento, pois o filme prende tanto que você quer mais e mais. O corte e a deixa para a parte 2 foi certeira, reservando o melhor para o ano que vem. Esperança – parte 1 emociona e arrepia. Compartilhamos da tristeza de Katniss e de toda a ira dos rebeldes, mas depositamos nela toda a esperança que temos no símbolo da revolução, o Tordo.

 Trailer – Jogos Vorazes: A Esperança – parte 1