Os cinemas receberão mais uma animação nesta quinta (9). Seguindo a grande expansão do gênero, o novo exemplar é Cada Um na Sua Casa da Dreamworks. A trama acompanha as aventuras de um alienígena chamado Oh, que pertence a uma raça invasora de planetas. Na terra, o protagonista conhece Tip e começa uma grande amizade intergaláctica.

O diretor é Tim Johnson, responsável por “Como Treinar o Seu Dragão”. O que não significa muita coisa, pois se no filme dos dragões foi possível explorar um universo mitológico totalmente novo e cheio de ação, esta nova empreitada da Dreamworks falha exatamente na falta de criatividade. A temática de extraterrestres tendo amizades com humanos não é novidade, problema maior quando só fica nisto e se baseando ao máximo em um alien fofinho e uma garota agitada.

Existe uma falha de desenvolvimento muito grande, as sequências são feitas sem existência de uma abertura. Pouco sabemos da tal raça alienígena, pouco sabemos da garota, são raros os momentos em que somos colocados a par dos acontecidos e normalmente acontecem de forma rápida. Tudo é simples, surgindo e sumindo sem o menor sentido.

O filme é bobo, até demais em certos momentos. O que acaba deixando-o com um foco totalmente infantil, aquela história de filme pra filho e pai não existe. Não que isso seja algo ruim, mas sai atrás de animações mais “cabeças” que dominaram o mercado nos últimos anos. O humor está presente nas situações mais físicas e simples, nada de boas cenas cômicas. Um ponto de destaque é que Cada Um na Sua Casa aposta muito mais em uma vertente dramática, criando diversos momentos tristes.

Só por ser animação, um bom público já é garantido. E talvez por tal certeza e pelos sucessos recentes que pouco foi investido aqui para criar um bom enredo. São pouquíssimas cenas que despertam algo, é um excesso de tramas desinteressantes e várias lições de moral, a maioria sobre família, até parece uma versão digitalizada e piorada de “Lilo & Stitch” (excelente filme/desenho de 2002 da rival Disney).

Ponto fraco

Mais do mesmo, muita enrolação pra levar ao esperado. Tramas, personagens, moral da história, desfechos e diversos outros fatores são apenas uma readaptação de algo que já foi visto anteriormente.

Ponto forte

É uma animação muito bem feita visualmente, aproveitando-se do fator 3D com maestria. Apesar de não trazer nada memorável e original, é uma boa opção de entretenimento familiar.

Nota: 5,0

Trailer – Cada Um na Sua Casa (Home)