Estreou nesta quinta (21) nos cinemas o filme A 5ª Onda, mais nova adaptação literária de ficção científica para as telonas e voltada ao público juvenil. Baseado no livro homônimo de Rick Yancey lançado em 2013 e se passando em um futuro em que os alienígenas invadiram o planeta Terra por meio de ataques específicos, chamados de ondas.  Chloë Grace Moretz protagoniza este longa dirigido por J. Blakeson.

Apesar de mostrar uma ideia um tanto quanto inovadora para este estilo de filmes, A 5ª Onda não passa de mais uma amostra em meio de produções já consagradas, como ‘Jogos Vorazes’, ‘Divergente’ e ‘Maze Runner’, todas contando com um protagonista jovem destacado e salvador da pátria, futuro pós-apocalíptico e afins. Só que A 5ª Onda chega com um atraso muito grande e tal história já está bem batida no meio cinematográfico, deixando pouco espaço para algo se criar, e é bem nisso que o filme acabando sofrendo uma grande derrota.

Enquanto os outros exemplos se sustentam com a batalha contra a injustiça, A 5ª Onda recorre bem ao artifício de explicar como tudo aconteceu e não criando dúvidas no espectador de como tudo chegou àquele modo. É talvez a melhor sacada do longa, de mostrar os eventos acontecendo, as tais ondas, e detalhar bem todos os processos. Mesmo não deixando claro em nenhum momento o propósito alienígena nas ações, podendo ser um ponto a ser explorado em possíveis continuações (já que a saga de livros conta com duas sequências). Méritos ao trio de roteiristas, que parece terem sidos escolhidos a dedo, cada um com um vasto currículo em variados gêneros e que conseguem aqui montar um enredo bem amarrado com pouquíssimas falhas.

A-5-Onda-1024x582

Só que tal enredo acaba totalmente ficando de lado quando os muitos problemas do filme aparecem, e o maior é o próprio diretor. J, Blakeson é totalmente inexperiente, contando com apenas uma direção na carreira até aqui no péssimo suspense ‘O Desaparecimento de Alice Creed’. E aqui mostra a falta de jeito e conduz muito mal várias cenas, principalmente as de ação, que são muitas e que não trazem tensão alguma. Outro problema visível são os efeitos visuais, totalmente amadores e parecendo até originários de uma filmagem barata. As atuações acabam caindo na repetição do gênero, pois querendo ou não já assistimos a essa história antes em alguma outra produção semelhante.

Então, mesmo com Grace Moretz e os demais atores desempenhando bem seus papéis, tudo parece ser clichê e as reações tornam-se manjadas. Dessa forma, A 5ª Onda não oferece realmente nada de novo ao público em nenhum quesito e fica apenas na torcida de agradar aos fãs já existentes do gênero.

Ponto forte

Mesmo sendo cópia de filmes que dominaram o cinema nos últimos anos, A 5ª Onda segue a mesma lógica e dessa forma deve agradar a um bom público.

Ponto fraco

Um filme de ficção científica que, apesar do grandioso orçamento, conta com efeitos visuais fraquíssimos, cenas de ação desleixadas e desfechos previsíveis (comum no gênero). Difícil aceitar tantas falhas, independente de tudo, em uma produção atrasada e que desta forma deveria ter toda a vantagem para fazer um trabalho decente.

Nota: 5,0

Trailer – A 5ª Onda (The 5th Wave)