Aqueles chegados em punk rock logo poderão acompanhar a apresentação de uma das bandas mais tradicionais do gênero, Cockney Rejects, que inicia sua turnê pela América do Sul neste final de semana, na Colômbia, e chega ao Brasil dia 28 deste mês com o show inicial em Curitiba, e trazendo uma homenagem à Chapecoense.

Os Cockney Rejects são uma banda de punk rock britânica formada em 1978, no East End de Londres – cidade multicultural e ambiente efervescente onde é quase impossível ficar entediado, um palco perfeito para este gênero agitado e de músicas rápidas germinar e se popularizar. Assim, depois dos Ramones criarem o estilo em Nova Iorque, houve o aparecimento das primeiras bandas inglesas de punk: o Sex Pistols e o The Clash.

Na segunda onda do punk rock, mas ainda na mesma década que esses grandes grupos surgiram, os irmãos Jeff and Micky Geggus, seu cunhado Chris Murrell (baixo) e Paul Harvey (bateria) – os quais logo foram substituídos respectivamente por Vince Riordan e Andy Scott provindos de uma banda conterrânea, o The Tickets – apresentaram seu primeiro demo, “Flares n’ Slippers”, que impressionou a Small Wonder Records.

Após seu clássico show de lançamento na Bridge House de Canning Town e com apenas 4 apresentações, em setembro do mesmo ano de estreia da banda ela já estava assinando com a opulenta EMI, gravadora detentora do catálogo de grandes sucessos como os Beatles, Pink Floyd e (atualmente) Coldplay. O maior single de sucesso dos Cockney Rejects no Reino Unido foi o chamado “The Greatest Cockney Rip-Off”, e sua música “Oi!Oi!Oi!” ainda serviu de inspiração para o movimento de mesmo nome –  “Oi!” – subgênero do punk.

Desviando das divagações políticas que permearam a primeira onda do movimento punk, os Cockney Rejects focaram em cantar sobre as circunstâncias que os rodeavam e às milhões de crianças de rua nas cidades do interior da Grã-Bretanha, ainda falavam sobre assédio policial, batalhas de rua e uma de suas maiores temáticas, o futebol.

Em 1980 o controverso grupo, que ganhou fama por sempre se envolver em confusões, foi banido do show Top of the Pops da BBC justamente por uma demonstração um pouco exacerbada de amor pela camisa. Tendo o West Ham como time do coração, eles até gravaram uma nova versão do tema oficial da equipe de futebol londrina “I’m forever blowing bubbles”, para comemorar o fato dela ter chegado à copa FA daquele ano. No entanto, sua devoção culminou em uma queda, com os shows terminando em verdadeiros campos de batalha entre a banda e os torcedores rivais, até a chamada “Batalha de Birmingham”, em que receberam graves acusações criminais.

Os praticamente adolescentes do East End de Londres conseguiram se reerguer, mas apenas em 2000 voltaram com as performances ao vivo. Agora, em sua nova turnê, os Cockney Rejects reafirmam seu amor pelo futebol ao homenagear o clube catarinense que sofreu o acidente aéreo que vitimou quase todo o time em novembro do ano passado após cair na capital da Colômbia.

Coincidência ou não, a turnê da banda se inicia no mesmo local, em Medellín, onde eles pretendem agradecer ao time da cidade, o Atlético Nacional, pela solidariedade de ter cedido o título da Copa Sul-Americana à Chapecoense. Eles ainda compuseram uma música especial para as vítimas. Essa não é a primeira homenagem que a banda faz a um time de futebol, eles fizeram algo parecido em 2016, no show de despedida do estádio centenário Upton Park, uma apresentação de muita carga emocional, já que esse foi berço de seu amado time, West Ham United.

Antes de aterrissar na terra verde e amarela a banda inglesa ainda fará shows na Argentina e no Chile, chegando ao Brasil dia 28 para seu primeiro show no país depois de 6 anos, que acontece em Curitiba, no Jokers Pub dia 28/04 e depois parte para Recife, se apresentando no Festival Abril Pro Rock dia 29/04 e, por fim, em São Paulo no dia seguinte, 30/04, no Clash Club.

Serviço – Cockney Rejects em Curitiba

Quando: 28 de abril de 2017 (sexta)

Horário: 19h

Onde: Jokers Pub (R. São Francisco, 164)

Quanto: R$ 80

Vendas: Ticket Brasil