Foi como se eu tivesse passado dias gritando perto do seu ouvido e você nem mesmo reparasse. Eu me cuidei, eu passei o meu melhor perfume, eu ofereci o meu sorriso mais sincero. Fiz de tudo, e mesmo assim você não notou. Eu estava ali, de algum modo desesperado e tolo, mas estava. E eu quis que você me visse.

Coloquei a minha melhor fantasia, te convidei para pular Carnaval, e até mesmo revoguei os convites dos meus amigos só para que pudéssemos estar perto, em contato. E, no fim das contas (e das noites), o retorno foi sempre o mesmo: você não retornou.

Aos poucos, fui entendendo que eu estava totalmente errado. Além dos meus amigos, quem merecia o meu melhor sorriso era eu mesmo. Afinal, não havia porque tentar ser a sua prioridade se você nunca quis que eu fosse. O amor é metade, é balança, é equilíbrio, é sustento.

E relação de gangorra em que você sempre está lá no alto e eu aqui, esperando impaciente embaixo… Bem, isso eu não quero mais, obrigado.