Já perceberam que, ao precisar de certos itens, sempre acabamos com vergonha e com medo de comprar e sermos julgadas por outras pessoas? Como sempre, conversando com as minhas maravilhosas amigas, percebi que esse sentimento é mais recorrente do que eu imaginava, e, ao contrário do que eu pensava, não acontece só comigo. De um tempo pra cá, resolvi lidar com as situações de uma forma diferente – da mesma forma que sorrio incansavelmente e sou absurdamente simpática e feliz quando sou mal atendida em qualquer lugar. Compro o que eu quiser com a maior naturalidade e com sorriso no rosto. Mas, infelizmente, nem sempre sou tratada com reciprocidade. Com a ajuda das amigas superempoderadas, montei uma lista de coisas que todas nós já passamos constrangimento ao comprar (mas não deveríamos). Ao final, digo exatamente o que você deve fazer para evitar esse climão. E você, se identifica com essas situações?

1. Camisinha

Hors concours desta lista, toda mulher que eu conversei diz ter passado por algum constrangimento ao comprar camisinhas na farmácia. O que é completamente natural para os homens é mal visto para as mulheres. Reflexo disso, muitas ainda pedem para os parceiros comprarem preservativos por pura vergonha. Mas, ué, não seria bom pensar que estamos praticando sexo seguro, evitando doenças e uma possível gravidez indesejada? Desculpa, mas não adianta fingir que ninguém faz sexo no mundo. Sinto muito por essas pessoas.

2. Anticoncepcional

Cansei de ver meninas – principalmente as adolescentes – se justificando na farmácia, dizendo que usam comprimidos anticoncepcionais para regular a menstruação. Eu mesma já fiz isso quando comecei a fazer uso da pílula. E o que as pessoas têm a ver com isso? Respondo: absolutamente nada. As mesmas pessoas que julgam as mulheres que compram camisinhas e fazem uso de medicação anticoncepcional, jogam pedras quando uma gravidez indesejada ocorre. Como entender esse povo?

3. Absorvente

Quando comecei a menstruar, pedia para uma amiga comprar absorvente para mim e duas sacolas para esconder minha compra na rua. E para comprar absorvente interno então? Que constrangimento (fora todo mito de que menina virgem não pode usar OB, o que gerava ainda mais caras de julgamento). Vem cá, menstruação é a coisa mais natural do mundo. Não importa o quanto as pessoas tentem evitar falar sobre ela, a menstruação sempre existiu e sempre vai existir. Falaremos mais sobre isso na próxima coluna.

4. Produtos ginecológicos

E quando você está com algum tipo de problema ginecológico? Que sofrência!, como diz minha amiga. Saiba você, corrimento e coceira causada por fungos são mais comuns do que você imagina. As causas também são as mais diversas e na maioria das vezes nem estão relacionadas ao sexo. As pessoas apenas nos disseram que era feio conversar sobre isso com as amigas – assim como falar da menstruação. Novamente, o que as pessoas tem a ver com a sua saúde vaginal? Nada.

5. Lubrificante

“Parece que quando eu compro, a pessoa sempre acha que eu vou fazer anal. E eu nunca usei para isso”. Outra amiga afirma que usa lubrificante para outras finalidades que nem estão relacionadas ao sexo e recebe cara feia. Será que é preciso explicar? Não. Mesmo que for para praticar sexo anal, ninguém tem nada a ver com isso.

6. Vibrador

Como qualquer produto de sex shop, dispensa comentários. Se já quase não falamos de masturbação, quem dirá comprar um aparelho. De novo, isso só diz respeito a você.

Com coisas tão simples quanto fazer algumas compras de rotina percebemos como a mulher é cobrada para manter uma imagem de pureza. Para mim, isso tudo é muito século XIX. Não pode transar, não pode se masturbar e, como todo mundo sabe que ela menstrua, melhor mesmo é não falar sobre isso.

Mas e aí, Laura: qual é a solução?

Sorria e faça suas compras com naturalidade – você provavelmente nunca mais verá essas pessoas na sua vida e, mesmo que veja, o julgamento delas não pode te impedir de viver sua vida. Nada como deixar a pessoa ficar constrangida sozinha. E, ah, ajude a gente a lutar por uma sociedade menos machista e com mais liberdade para ser quem quiser e comprar o que quiser e precisar.

Dedico esse texto a todas as maravilhosas que me ajudaram a fazer esta lista. Beijos e até a próxima!

(Ah, tem alguma sugestão? Escreve pra mim!)