A password will be e-mailed to you.

Pode ser no Twitter. Pode ser no Facebook. Pode ser no WhatsApp. Pode ser até mesmo pessoalmente. Ninguém gosta de se sentir deslocado. E pior do que se sentir deslocado, é ter aquela sensação de se sentir como Leonardo DiCaprio (até 2016).  Com o Oscar batendo em nossas portas, é importante ter uma noção do que rola no mundo do cinema, pois só assim você consegue fazer parte da conversa e também pode impressionar todo mundo com a sua opinião, por mais ~diferentona~ que seja. Mas não tem problema se você ainda não sabe nada de cinema, estamos aqui para te ajudar. Se liga nesses 6 passos para se tonar o maior cinéfilo de Taubaté que esse mundo já viu.

1. “A trilha sonora marcou a minha vida”

Você PRECISA falar o quão marcante e impactante a trilha sonora foi. Se conseguir explicar o porquê, melhor ainda. Senão, é só falar que você se sentiu inspirado pela música e como ela combinou com o filme. Qualquer coisa, é só elogiar quem cantou e falar como foi um trabalho digno para o filme. E pra finalizar, conte que logo após assistir o filme você foi correndo baixar no Spotify. Se você citar “Dunkirk“, o primeiro passo já está ganho.

2. “Woody Allen é apenas incompreendido” 

Cinéfilos de Taubaté ligam mais para o nome, do que para o conteúdo. Não importa se o filme é ruim, ou se quem dirigiu é a própria caçamba de lixo. O que importa é você estar no mesmo lado dos anciões da crítica. Apesar de não ser um lixo humano, você pode falar como Guillermo del Toro (A Forma da Água) foi revolucionário.

3. “Harry Potter nem é filme”

Falar mal dos grandes blockbusters é essencial. Criticar filmes como “Harry Potter”, “O Senhor dos Anéis”, “Crepúsculo” e afins mostra como você é contra filmes modinhas, o que te deixa ainda mais ~diferentão~. Além disso, dá pra usar o argumento de “sou contra filmes que fazem sucesso, pois eles só pensam no dinheiro”.

4. “O filme até que é bom, mas o livro é melhor”

Mas é claro que para ser um pseudo-cinéfilo você tem que mostrar que entende tudo do filme e, logo, leu o livro! Não se esqueça de criticar “Ah, porque no filme eles esqueceram de tal cena”, ou “O personagem não foi retratado de forma tão fiel”. Pode acreditar, funciona mesmo.

5. “Não, porque a fotografia…”

Por último, mas não menos importante: elogie a fotografia! Para você mostrar que entende cinema (mesmo não entendendo absolutamente nada) você precisa MESMO falar bem da fotografia.  Fale como as cores são lindas, como a direção de arte está impecável e como todos os elementos ornam. Sério, você não pode se esquecer disso! Para o Oscar 2018, você pode usar “Me Chame Pelo Seu Nome” e “Lady Bird: A Hora de Voar” como ótimos exemplos.

6. “Você não gostou, porque não entendeu o conceito”

“Gente, só pessoas inteligentes entenderiam “Donnie Darko”. E eu entendi”. Por mais que o filme seja “viajão” ou meio fora da casinha, você JAMAIS pode falar que não entendeu. Elogie sempre e tente explicar qual o conceito, mostrando como você sabe tudo de cinema. Mas claro, quando for de um diretor diferentão, certo? Aproveite a premiação de amanhã e tente explicar “A Forma da Água” para todos!

Assista o Oscar com a gente!

O Curitiba Cult se une novamente ao portal mais cinéfilo da cidade, o Pós-créditos, para a cobertura do Oscar 2018. Toda a gala (a gente finge), vai acontecer no dia 04 de março, a partir das 20h, no Garden HamBargueria(Av. Jaime Reis, 22), com entrada gratuita. Para mais informações, acesse o evento oficial, aqui!

Esse texto faz parte da Cobertura do Oscar 2018 do Curitiba Cult e Pós-créditos. Você pode conferir mais conteúdo como esse aqui e aqui!