Uma senha sera enviada para seu e-mail

E já estamos no dia 31 de outubro, mais conhecido como Halloween ou abrasileiradamente falando Dia das Bruxas; e nada mais propício para esta data do que tirar um tempinho para assistir terror. Como o gênero já está muitíssimo bem representado nos cinemas com o próprio Halloween, confira nossa crítica aqui, selecionamos dez excelentes e diversificadas opções que você pode assistir no conforto da sua casa graças a Netflix; agora é só criar coragem, ver qual lhe agrada mais e mandar ver:

Cloverfield – Monstro

Com toda certeza o melhor filme sobre monstros com a utilização de filmagens em primeira pessoa. Mostra um grupo de amigos que aproveita uma festa de despedida em Nova York, quando inesperadamente um monstro gigantesco surge. Todo o processo é filmado como found-footage (estilo que viralizou na última década) e nos coloca dentro do pavor. É extremamente bem feito e bem dirigido por Matt Reeves (‘Deixe-me Entrar’ e ‘Planeta dos Macacos: Confronto e Guerra’). O produtor é J.J. Abrams, um especialista no estilo, e até hoje esperamos mais informações sobre o tal monstro Cloverfield.

A Visita

Com direção e roteiro de M. Night Shyamalan (responsável por ‘O Sexto Sentido’, ‘Sinais’, ‘A Vila’ e mais recentemente ‘Fragmentado’) só podemos esperar algo no mínimo surpreendente. Aqui acompanhamos dois irmãos que vão passar alguns dias com seus avós em uma fazenda, porém, o que deveria ser uma divertida viagem acaba se tornando num pesadelo. Temos em A Visita uma opção excelente para gerar aquela tensão e pavor constante, num ótimo suspense que se estende até o fim; fora a angústia gerada pelas atitudes e comportamentos pra lá de suspeitos dos avós.

Corrente do Mal

Um dos destaques no ano de 2015, dando início a uma nova leva de produções terríficas; contendo mais fatores psicológicos do que sustos, Corrente do Mal é certamente um dos melhores exemplares lançados recentemente. O filme apresenta uma garota perseguida por uma entidade sobrenatural transmitida sexualmente. Com uma premissa um tanto quanto incomum, temos aqui uma obra primorosa em aspectos técnicos e hiper funcional ao criar tensão.

Hush – A Morte Ouve

Fugindo um pouco da “fantasia” e indo para uma trama que é muito mais “real”. Além de ser mais atual (2016) e também não pesar tanto a mão no terror, e sim no suspense/thriller. Estamos falando de Hush – A Morte Ouve, um dos primeiros filmes adquiridos para distribuição pela Netfix. Dirigido pelo grandioso, e em ascensão, Mike Flanagan, somos apresentados a uma protagonista surda. Ela vive isolada em um ambiente totalmente silencioso, até certo dia quando um psicótico mascarado aparece no local. Muito antes de ‘Um Lugar Silencioso’ aparecer, Hush já brincava com os sentidos ao criar passagens realmente agoniantes. Bela trama psicológica, impossível não ficar tenso do começo ao fim.

O Babadook

Saindo do mercado americano de se fazer filmes, e indo pra uma produção realizada por australianos e canadenses em 2014. O Babadook é inovador pelo modo de retratar o terror em cena, e é facilmente um dos mais surpreendentes aqui. Apresenta a dificuldade de uma mãe em criar o filho após a morte do pai, em meio de um clima depressivo e o constante medo de monstros do garoto. Com uma filmagem carregada e escura, puxando pro suspense psicológico, o longa é cheio de simbolismo. Tendo na presença do tal bicho-papão o ápice aterrorizante, o que não falta aqui é tensão para o espectador.

Verônica

Mais novo trabalho de Paco Plaza, criador do maravilhoso ‘[REC]’, esta obra espanhola é baseada em uma história real; o que por si só já transforma o filme em algo dez vezes mais assustador. O caso acompanha a garota que intitula o longa que se vê perseguida por espíritos após uma falha tentativa de contato com o pai falecido; tal trama de Verônica representa a única ocorrência paranormal registrada pela polícia da Espanha.

Apóstolo

Uma das produções originais recentes da Netflix apresenta um cenário de cultos e seitas religiosas no início do século passado. Numa ambientação envolta de mistérios e tensão, conhecemos um homem desesperado em busca da irmã desaparecida; acaba caindo numa ilha remota e a encontra em meio de sequestradores fiéis a uma religião desconhecida cheia de rituais. Seguindo a linha mais lenta e tensa já implementada no terror, Apóstolo é uma obra sensitiva que sabe a hora e forma de apavorar.

Creep

Certamente o título mais desconhecido nesta lista e provavelmente muito inesperado, temos aqui uma obra ímpar; trata-se de uma produção bem caseira e que foge do que se espera de um terror. O funcionamento de Creep é na forma de um documentário filmado com câmera de mão, ou seja, mockumentary found footage; apresentando um documentarista que em busca dum projeto inovador, aceita passar um dia inteiro gravando a rotina de um serial-killer. Prepare-se para uma experiência diferente da usual, extremamente desconfortante.

Horror em Amityville

Local histórico e palco de um dos maiores casos sobrenaturais relatados, Amityville já serviu de inspiração para vários filmes. O que melhor se aproveita da atmosfera e até mesmo da história real é Horror em Amityville, obra de 2005 com Ryan Reynolds como protagonista; é um remake do longa de 1979 e apresenta uma família tendo que encarar a tal casa assombrada. Segue uma narrativa que desperta interesse e envolve, tendo bons jump scares (cenas de susto) e assustando com facilidade.

A Bruxa

Terror de maior sucesso nos últimos anos, com presença em várias premiações e aprovação máxima da crítica; é aqui em A Bruxa que uma nova narrativa no gênero se instaurou e ganhou espaço, trama bem elaborada e tensão criada nos detalhes. Viajamos ao Século 17 e uma família isolada da civilização se vê em ruínas após o desaparecimento do bebê; os boatos de uma bruxa no bosque parecem mais críveis e a escuridão toma conta. Belíssima obra e que faz jus a todo o alvoroço que causou, fugindo com classe dos padrões.