escutados os grunhidos

d’umas aves agourentas

,destes ventos acudidos

.com teus versos, m’afungentas

 

.saio das gaiolas desta estrofe para melhor me expressar

:dedos congelados cortam fios e calmarias

.o oposto de Deus encontrei em meus caminhos

.um apert’em peito grit’em agonias

 

.diz-me: ?sofres! pois não deves

!

as dores não têm jeito

,pena

,chegam todas, nem são leves

 

.ore por mim, mãe maria

,que m’arranque tudo isso

que me dê um’alegria

,que desfaça esse feitiço

 

.são senhores e senhoras e são muitos os olhares

 

.danem-se

!

 

já encaro bem de frente o que fiz de bem mal feito

,várias cores e melhoras

(ou pioras d’outros jeitos

)