A password will be e-mailed to you.

Após o sucesso arrebatador de ‘Corra!’, grande surpresa no Oscar levando prêmio de Melhor Roteiro Original, o terror ressurgiu. Todos os olhos estão voltados para os suspenses/terrores psicológicos, aqueles que não se fazem apenas com sustos e sim tensão. O mais novo exemplar desta nova safra, que deve virar constante, é Um Lugar Silencioso; que chegou hoje (5) aos cinemas.

O longa já vinha sendo aclamado em pré-exibições lá fora e conquistando muitos curiosos graças à uma premissa bem chamativa. Se passando num futuro pós-apocalíptico, Um Lugar Silencioso apresenta um planeta Terra desolado e sem saber como lidar com alienígenas. A trama então gira em torno de uma família que vive em meio deste caos e precisa estar sempre em silêncio, único modo de escapar de monstros alienígenas que atacam ao menor sinal de barulho.

Os protagonistas são Emily Blunt e John Krasinski, casal na vida real, e que aqui batalham por sobrevivência. A direção é do próprio Krasinski, que também roteirizou ao lado de Bryan Woods e Scott Beck. O trabalho de Krasinski é muito técnico e funciona ao aguçar os sentidos do espectador. Apesar da ideia parecer um tanto quanto viajada, o longa é excelentemente bem tratado e se desenrola de forma fácil.

Em meio de tantas produções barulhentas e exageradas, principalmente no terror, o que temos em Um Lugar Silencioso vai na contramão. É um produto extremamente sensorial e pleno, que beira a perfeição no resultado estético alcançado; as cenas envolvendo a filha com surdez são a prova disto. O filme se faz com a mínima sonorização possível e isso ocasiona uma sensação de aflição/angústia, a tensão surge nos mínimos detalhes.

Ainda existe toda a parte do monstro alienígena, que é brilhantemente bem trabalhado e desenhado. Causa temor e até mesmo certo “fascínio” pela forma que foi desenvolvido. A partir da metade do longa, que por sinal é bem curto com seus 90 minutos, o sentimento se transforma em agonia. Há todo um drama familiar envolto no ato de sobreviver da família, que cria assim vários desdobramentos.

Um Lugar Silencioso é fácil uma das melhores produções no gênero até hoje, não necessariamente um terror absoluto; mas sim pelo conjunto da obra. O modo que trabalha o silêncio e todos os consequentes, junto do jogo de imagens, é deslumbrante e inquietante. Numa didática ao melhor estilo sci-fi, é o tipo de filme que te prende e lhe faz transbordar em sensações.

A melhor dica é que você assista com foco total na película e se deixe levar por tudo que é proposto, sem ser distrair por nada; nessas situações o cinema pode até se tornar um problema.

Trailer – Um Lugar Silencioso