Uma senha sera enviada para seu e-mail

Andar sem rumo, apenas aquele determinado por você. Circular pela cidade em um sábado de sol, sob o céu azul e nuvens brancas. Sentir a sensação de que qualquer coisa maravilhosa pode esbarrar em você a cada esquina. Isso é The12Beers.

O festival, que marcou Curitiba com sua sexta edição, no último sábado (30/11), espalhou pela cidade centenas de pessoas marcadas por suas canecas penduradas no pescoço e um mapa nas mãos. Em cada canto da cidade, via-se grupos amistosos e receptivos a conhecer outros. Seres humanos conectados pelo simples passeio refrescado por bebidas de extrema qualidade e atendimento, sempre, de primeira. Sério, a produção escolheu a dedos os locais, que proporcionaram experiências variadas até demais para que fossem assimiladas em 12 horas.

The Twelve Beers: um encontro de almas | crédito: Fernanda Kogin

The Twelve Beers: um encontro de almas | crédito: Fernanda Kogin

Amigos, famílias. Desconhecidos se abraçando nos pontos de encontro, doze cervejas diferentes, doze bares diferentes; some com mais de uma dúzia de sensações e o alívio de uma pancada de chuva passageira, que trouxe, mais que tristeza pelo tempo fechado, a maior alegria de vê-lo se abrindo novamente.

Minha peregrinação começou tarde, confesso, cheguei às 13h ao primeiro local. Entretanto, nunca vivi algo tão parecido com o que foi oferecido. Conheci pessoas incríveis, fiz amizades improváveis, tropecei com escritores, Victor Hugo, Taylor. Vi-me pulando e abraçando pessoas do nada apenas pela alegria da indicação da direção da próxima parada.

E o que seria da cerveja sem os encontros do The Twelve Beers? | Crédito: Fernanda Kogin

E o que seria da cerveja sem os encontros do The Twelve Beers? | Crédito: Fernanda Kogin

E o dia foi passando como um sopro. A leve embriaguez, entretanto, não atrapalhou em nada. Eis que faltavam seis bares e já estava na hora de… Inesperado. A festa secreta à qual só chegavam aqueles que desvendavam um enigma contido no mapa, escondida no centro da cidade, só reafirmou laços entre os aventureiros, que não conseguiam parar de sorrir, que não conseguiam parar de se abraçar, que não conseguiam parar de conhecer pessoas novas, que não conseguiam parar de… Amar!

Depois disso, voltei à caminhada. O que aconteceu noite adentro, bem, fica na lembrança. E que lembrança.

Pare com aquela piada de que finge gostar de socializar para tomar cerveja. Esqueça que só toma cerveja por gostar de socializar. Junte o melhor de dois mundos. Conheça o The12Beers. Veja como é bom viver.

Crédito: Fernanda Kogin