Uma senha sera enviada para seu e-mail

Quem foi ao show do Roupa Nova, na noite de sexta-feira (18), e esperava um romantismo sereno, se surpreendeu. A apresentação no Teatro Positivo foi marcada pelo agito desde antes de a banda entrar no palco, quando uma mensagem em um telão pedia ao público que recebesse o grupo com “muito, muito, muito barulho”. E a plateia foi obediente. Serginho, Paulinho, Kiko, Nando, Ricardo, Cleberson e o saxofonista Daniel Musy, recém-chegado ao grupo, foram acolhidos com a euforia de fãs empolgados.

A primeira canção apresentada foi Sapato velho, composição de Mú Carvalho, Cláudio Nucci e Paulinho Tapajós, que é um dos 53 sucessos nacionais do Roupa Nova. Sim,  eles tiveram 53 sucessos nacionais. Isso, inclusive, foi mencionado durante a apresentação. E, para enfatizar esse dado diante de um auditório empolgado, os músicos brincaram: “É muito sucesso pra pouco aplauso, hein?”. A cena seguinte a esta fala foi marcada por aplausos ainda mais quentes.

A apresentação teve participações remotas de outros artistas, que apareceram em vídeo. Alguns participaram das canções. Outros apenas deram depoimentos no início do show sobre a admiração que sentiam pelo trabalho da banda. Milton Nascimento, o grande padrinho do Roupa Nova, foi um dos que apareceram cantando nas gravações da tela. Merece destaque também a breve aparição de Ed Motta, com seu depoimento – seguida de vaias.

Além de Linda demais, Dona, A viagem, Anjo, Coração pirata e vários outros sucessos, o grupo trouxe uma nova música e pediu, em tom brincalhão, que o público não menosprezasse a novidade. “As pessoas falam ‘toca aquela de quando eu me casei’, ‘toca aquela de quando eu tive bebê’ e, quando a gente traz algo novo, não ligam”. Com muito bom humor, os músicos convocaram a atenção da plateia e disseram que fazer novas canções é uma forma de mostrar que o Roupa Nova está vivo, pensando (e pensando nos fãs). “Não vai para o banheiro agora. Essa vai ser boa também!”. E começaram a tocar Ser melhor.

As surpresas não pararam por aí. A banda fez uma impecável performance a capella e sem microfone de Yesterday, dos Beatles, deixando os fãs ainda mais admirados. A noite também foi de revelações para muita gente. Em um pout-pouri muito bem elaborado, o Roupa Nova tocou músicas que foram produzidas por eles, embora eles não tenha assinado, como os temas do Rock in Rio, do programa Vídeo Show e da Fórmula 1.

O público agitado não se contentou com a despedida após Whisky a go go. Pediu mais. Roupa Nova voltou com todo gás e revirou o baú da música internacional para tirar canções como Twist and shout, Staying alive, Sweet child O’Mine e Have you ever seen the rain. A plateia vibrou e saiu satisfeita após a distribuição de brindes, baquetas, lencinhos e gestos de simpatia do grupo.

Confira fotos do show

[masterslider id=”11″]

Crítica: Lívia Inácio | Fotos: Jéssica Carvalho/Curitiba Cult